TATUAPÉ E BELÉM – Monumentos são recuperados

TATUAPÉ E BELÉM – Monumentos são recuperados

Na última terça-feira, dia 22, técnicos da Secretaria Municipal da Cultura estiveram no Tatuapé e no Belém para acompanhar obras de recuperação dos monumentos “Pátria e Família”, homenagem a Olavo Bilac, na Praça José Moreno, e “Ubirajara”, de Francisco Leopoldo e Silva, no Largo Ubirajara, no Belém. Alice Américo, coordenadora do Núcleo de Monumentos e obras artísticas do Departamento de Patrimônio Histórico (DPH), esteve nos dois locais acompanhada pelo vereador Toninho Paiva.

O parlamentar direcionou à secretaria uma emenda de R$ 320 mil. Do total, R$ 147,5 mil foram utilizados na peça do Belém e aproximadamente R$ 28 mil foram direcionados à obra do Tatuapé.

De acordo com o vereador, os cerca de R$ 140 mil restantes também serão destinados a acervos culturais, mas, para isso, ele se reunirá com o secretário para definir o encaminhamento da verba. Ao lado do presidente da Sociedade Amigos do Belém (SAB), Adailton Alves de Souza; do ex-presidente, Giovanni Di Cicco; e do presidente do Conseg Belém, Norberto Mensório; Paiva destacou a importância da estátua estar em um dos portais de entrada para o bairro.

OBRAS

Claudemir Ignácio, da empresa Júlio Moraes Conservação e Restauro, declarou que o movimento do trânsito fez surgir fissuras e algumas rachaduras na obra “Ubirajara”. Ele relatou que a base do monumento era oca e isso colaborou para o deslocamento da estrutura. “Agora, nós desmontamos todos os mármores da peça, preenchemos a parte de sustentação com concreto e reagrupamos o conjunto. A partir de agora, mesmo com a vibração causada pelos veículos, a estátua estará mais firme para suportar o tráfego”, completou. Para dar acabamento à peça, também foi contratada a empresa MCR Polimento de Mármore.

A peça “Pátria e Família” está tendo sua cor revigorada pela limpeza e pela aplicação de grafite. Antes desse estágio, a empresa precisou retirar a pichação feita em parte da estátua. Outra benfeitoria será feita ao redor da obra, com a criação de um jardim e a colocação de uma placa de identificação de granito, com o nome da obra e da data em que ela foi instalada na praça. Com relação à história da obra, Alice explicou que o Monumento Olavo Bilac é formado pelo “Pátria e Família”, “Pátria”, “Olavo Bilac”, “Via Láctea”, “Caçador de Esmeraldas”, “Escoteiro” e o “Beijo”. De todo o conjunto escultórico, apenas a peça “Via Láctea” segue no depósito da Prefeitura.

UBIRAJARA

A obra representa a vitória de Jaguaré sobre o guerreiro tocantin Pojucã. Após a vitória, Jaguaré passou a chamar-se Ubirajara (“senhor da lança”). O episódio é descrito no romance homônimo de José de Alencar, escrito em 1874 e que integrou um movimento de valorização e idealização do índio na literatura brasileira.

Deixe um comentário

*