Paulista FC no coração da Mooca

Paulista FC no coração da Mooca

Quem passa pela Rua Madre de Deus, 1.041, na Mooca, talvez não conheça a história do tímido clube, porém importante para os moradores do bairro em que ali está situado.

Um grupo de jovens cansados das desorganizadas “peladas”, assim como é popularmente conhecida as partidas de futebol realizadas em campinhos de terra, resolveram formar um verdadeiro time varzeano. Esportistas e moradores descendentes de imigrantes italianos, espanhóis e portugueses, que moravam na região, reuniram-se  em 14 de fevereiro de 1943, em uma barbearia de propriedade do senhor Henrique Campiello, fundando o então time Extra Paulista, mais tarde conhecido como Paulista Futebol Clube da Mooca.

E quem conta essa história é o atual presidente do clube, Edison Magalhães, que em dezembro de 2012 assumiu a presidência do clube, mas desde 1989 faz trabalha na diretoria do time.

JOGADORES

O Paulista da Mooca é conhecido pelos campeonatos de várzea realizados nos arredores do bairro e deu espaço para renomados jogadores de futebol. Como por exemplo Julinho Botelho, que passou pelo Juventus, Portuguesa, Palmeiras e Seleção Brasileira, Zanetti  que também jogou no Juventus, Saad, atualmente jogador do  São Caetano, mas esteve em vários clubes europeus,  Leonetti, que foi goleiro no Corinthians, e ainda o consagrado Wellington Paulista, que atuou no Juventus, Santos, Sevilha, Cruzeiro e atualmente joga no Crisciuma.

FUTSAL

Edison informa que devido a valorização urbana os poucos campos de futebol que existiam na Mooca foram incorporados por grandes construtoras, fazendo desaparecer a essencial do futebol varzeano. Essa denominação tipicamente brasileira surgiu sobre as práticas de futebol realizadas em campos aberto, antes de haver a profissionalização de jogadores, em meados da década de 1950.

Atualmente, o Paulista Futebol Clube sede espaço para locação de quadras de futsal de segunda à sexta-feira, das 18 às 22 horas, aos sábados das 8 às 18 horas e domingos das 12 às 17 horas.

 

Deixe um comentário

*