‘Vizinhança Solidária’ ajuda na união de moradores

‘Vizinhança Solidária’ ajuda na união de moradores

A Polícia Militar continua divulgando o programa “Vizinhança Solidária”. Nele, a PM cadastra o nome, RG, CPF, telefone da casa e celular dos moradores da rua interessada. A partir do momento do acordo, é marcada uma reunião com quem reside no endereço para explicar como funciona o programa e entregar um material informativo. Na sequência, as pessoas recebem uma placa informativa que ficará presa na fachada do imóvel ou condomínio, sem nenhum custo.

Após a definição, a rua entra no programa de prioridade de patrulhamento, que consiste no fato das viaturas terem a via dentro do roteiro de policiamento ostensivo. A PM também nomeia um dos residentes como tutor, ou seja, o responsável por manter a polícia informada, chamar os vizinhos para as reuniões e pedir ajuda quando for necessário. Todas as demandas, antes de serem atendidas, passam antes pela observação e anuência dos capitães responsáveis pela Companhias que administram as áreas pertencentes ao 30º DP – Tatuapé e ao 52º DP – Parque São Jorge.

No caso dos prédios, os síndicos são os tutores e há o cadastro de zeladores, porteiros e agentes de segurança, se porventura os edifícios tiverem o serviço. A polícia também registra os telefones de todos os condomínios para dar continuidade na implantação do projeto. Interessados em implantar o plano devem procurar a Base de Policiamento Comunitário da Praça Silvio Romero ou a 2ª Cia. do 51º Batalhão, localizada na Rua Dom Andres Lamas, 185.

Deixe um comentário

*