VANDALISMO – CET retira radar de avenida

VANDALISMO – CET retira radar de avenida

Após ter sido danificado, a Companhia de Engenharia de Tráfego (CET) resolveu retirar o radar móvel que havia sido implantado na Avenida Vereador Abel Ferreira, na altura do número 334, no Jardim Anália Franco. Antes dos problemas técnicos, a Prefeitura havia sofrido uma ação na Justiça que criticava o fato do equipamento ter sido instalado em um caixote de metal, impedindo a visibilidade pelos motoristas.

VELOCIDADE
Mesmo sem o aparelho, agora motoristas e moradores que utilizam a via devem ficar atentos à velocidade que foi reduzida para 50 km/h. Além disso, o espaço destinado ao radar continua demarcado, o que indica a probabilidade de retorno do equipamento, até porque o mesmo faz parte do Programa Mobilidade por Bicicleta. Alguns moradores que passavam de carro pelo local afirmaram que o dispositivo denota uma certa fragilidade, principalmente por estar no chão.

VÂNDALOS
Alberto Lima ressaltou que, se a Prefeitura aposta na punição, para coibir os motoristas infratores, deveria investir em sistemas modernos para impedir a ação de vândalos, por exemplo. “Caso a CET insista nesse ‘caixote’, é possível haver novas depredações. Sem contar que nós temos de pagar pelo prejuízo alheio”, decretou.

RADARES
A Prefeitura de São Paulo instalou 20 radares móveis em caixotes de metal para fiscalizar o trânsito nas ruas. A estrutura que abriga a câmera fotográfica pode ser colocada em lugares onde não há sinalização avisando sobre fiscalização eletrônica. Os radares móveis são capazes de flagrar motoristas dirigindo acima da velocidade, invadindo faixas de ônibus e desrespeitando o rodízio.

FISCALIZAÇÃO
Conforme a CET, a ação faz parte de um projeto da administração de expandir e revitalizar o sistema de fiscalização automática de trânsito na capital paulista. Ao todo, foram instalados 386 novos equipamentos, entre radares fixos, móveis e lombadas eletrônicas. A Companhia reforçou que a instalação de radares segue critérios de uniformidade, considera fatores de segurança, fluidez e acessibilidade, além do volume de tráfego, índice de acidentes, geometria e tipo de pavimento da via.

Deixe um comentário

*