Um Bonde Chamado Desejo

Um Bonde Chamado Desejo

Está em cartaz no Tucarena, até o dia 4 de março, o espetáculo “Um Bonde Chamado Desejo”, tendo como protagonistas Eduardo Moscovis e Maria Luiza Mendonça, acompanhados por Virgínia Buckowski, Donizeti Mazonas e Fabricio Licursi. Baseado no texto de Tennessee Williams, e com tradução e direção de Rafael Gomes, a história narra a decadência de Blanche Dubois, que se abriga na casa da irmã, Stella, para fugir do passado e se depara com seu vulgar cunhado, Stanley Kowalski. Marlon Brando e Jessica Tandy interpretaram os protagonistas, em 1947, na Broadway, dirigidos por Elia Kazan. O texto ganharia notoriedade mundial no cinema, quatro anos depois, quando o mesmo Kazan dirigiu a adaptação cinematográfica com Brando e Vivian Leigh nos papéis principais.

Na trama, a sonhadora e atormentada Blanche DuBois muda-se para a casa da irmã, Stella, no estado norte americano de New Orleans, para logo entrar em violento embate com a brutalidade de seu cunhado, Stanley. Na tensão entre a carnalidade bestial de Stanley e o espírito etéreo de Blanche, ergue-se a mais pungente e bela metáfora do duelo entre o sonho e a realidade, entre a alma e o corpo, que o teatro já produziu.

Através do enredo doméstico de Tennessee Williams, criam-se complexos universos éticos e estéticos, com refinadas teias simbólicas, maestria de linguagem e, principalmente, enorme envergadura moral. Williams foi o vencedor do Prêmio Pulitzer de Teatro por “A Streetcar Named Desire”, em 1948, e por “Cat on a Hot Tin Roof”, em 1955.

O diretor Rafael Gomes, um dos mais destacados encenadores da nova cena teatral paulistana (Prêmio APCA por Música Para Cortar Os Pulsos; três indicações ao Prêmio Shell por Gotas D’Água Sobre Pedras Escaldantes; mais de 20 indicações e 5 Prêmios conquistados pelo musical Gota D’Água (a seco); 2 indicações de melhor espetáculo e Prêmio APCA de melhor autor para a peça Os Arqueólogos) é um profissional que, assim como Elia Kazan, diretor da montagem inaugural do texto, transita entre o audiovisual e o teatro, com experiência multidisciplinar, buscando as particularidades e convergências em cada uma das artes, bem como aquilo que as alimenta mutuamente.

Apresentações: de sexta e sábado, às 21 horas; e domingo, às 18 horas. Indicação etária: a partir de 14 anos. Ingressos: sextas, sábados e domingos: R$ 80,00 (desconto de 50% para estudantes e maiores de 60 anos.) Preço especial PUC-SP R$ 15,00 (para estudantes, professores e funcionários da PUC sob comprovação – número de ingressos limitado a 10% da lotação do teatro). Acesso para pessoas com deficiência.

Vendas pela Internet: www.ingressorapido.com.br (aceita todos os cartões de crédito). Horários de funcionamento da bilheteria: de terça a domingo, das 14 às 20 horas.

Estacionamento conveniado: Rua Monte Alegre, 961 – R$ 20,00 e Rua Monte Alegre, 835 – R$ 18,00 (valor válido somente mediante a apresentação de ingressos das peças em cartaz no Tucarena). Local: Rua Monte Alegre, 1.024.

Deixe um comentário

*