Tendinite de Quervain

A tendiinite de Quervain é um problema comum, e consiste em uma das queixas mais comuns em consultórios. A patologia não é causada por esforço ou excesso de uso, como acontece com ma maioria das tendinites. No dorso do punho existem vários tendões, que tem a função de esticar os dedos, e que são chamados de tendões extensores. Os tendões extensores passam no dorso do punho por seis “túneis”. Estes “túneis” existem para que os tendões possam fazer força sem que o sentido desta força se altere, podendo-se assim dizer que os “túneis do dorso do punho fazem com que os tendões extensores estão no rumo certo, toda vez que esticamos os dedos. O assoalho deste “túnel” é o próprio osso e o “teto” é composto por um ligamento endurecido.

A tendinite ocorre quando se caracteriza por um desequilíbrio entre o tamanho do tendão e o tamanho do “túnel”. Ocorre neste caso um espessamento do ligamento que faz com que o volume do “túnel” fique mais estreito, fazendo com que os tendões fiquem “apertados”, e como consequência a região começa a doer. Qualquer um dos “túneis” podem ser afetados, mas geralmente o mais comprometido por esta alteração é o primeiro “túnel” extensor que fica logo abaixo do polegar.

O espessamento do ligamento do primeiro “túnel” extensor tem como causa principal as variações hormonais (menopausa), atingindo mulheres entre 40 e 55 anos, também podem ser afetadas mulheres mais jovens e até homens, mas em proporções menores. O tratamento da tendinite inclui várias modalidades, desde o clínico até o fisioterápico onde são usadas técnicas para a diminuição do processo inflamatório e da dor.

Dr. Edimilson Marton – especialista em RPG – Crefito 12.346/F
Rua Serra de Bragança, 1.355, Tatuapé, fones: 3628-2125 e 3628-2129

Deixe um comentário

*