Situação do Ceret é crítica. Secretaria responde

Situação do Ceret é crítica. Secretaria responde

A moradora do Tatuapé, Daniella Possebon Stopa, entrou em contato com a redação para denunciar a falta de zeladoria no Centro Esportivo, Recreativo e Educativo do Trabalhador (Ceret). Segundo ela, os brinquedos do playground estão sendo cobertos pelo mato e as famílias estão deixando de utilizar o equipamento. Daniella estava indignada com a condição atual do espaço infantil, pois vários brinquedos ficaram quebrados e a administração não tomou providências. Para a frequentadora, é triste ver o clube assim, pois fazia tempo que ela não via tanto abandono.

Na última quarta-feira, a reportagem foi conferir o estado de conservação do lugar e se surpreendeu com a falta de cuidado. As escadas que saem do campo de rugby e dão acesso para o campo de futebol estavam repleta de mato. A pista de caminhada e corrida, existente na lateral do campo, tinha vários buracos no piso preocupando principalmente os usuários idosos, por conta do risco de queda. O caminho não recebe nova pintura há vários anos, está sujo e, agora, o mato começa a invadir alguns pontos.

“Novo comando virá este mês”

Em cerca de uma hora de caminhada, foi possível notar que não existe empresa de poda de mato trabalhando no centro esportivo. O mesmo vale para a manutenção de parte dos equipamentos, pois alguns deles estão praticamente inutilizados. A dificuldade das crianças de usarem os brinquedos e o mato alto resultou também no fato das pessoas deixarem de fazer piquenique. Pais e mães estendiam toalhas no chão e colocavam as cestas de guloseimas no gramado, enquanto observavam os filhos.

A Secretaria Municipal de Esportes, responsável por administrar o Ceret, será assumida pelo ex-deputado estadual Carlos Alberto Bezerra Jr. em breve. Por enquanto, quem comanda a pasta ainda é João Farias.

PISCINA

Na mesma semana, outra usuária do clube avisou sobre um fato triste ocorrido na piscina de adultos, quando uma pessoa defecou na água, fazendo com que o espaço de lazer fosse interditado. Ela criticou a impossibilidade de se fiscalizar esse tipo de atitude deplorável e a validade de uma decisão judicial que não obriga mais os frequentadores de terem de fazer o exame médico para entrar no balneário.

A Secretaria Municipal de Esportes, responsável por administrar o Ceret, será assumida pelo ex-deputado estadual Carlos Alberto Bezerra Jr. em breve. Por enquanto, quem comanda a pasta ainda é João Farias.

O OUTRO LADO

A Secretaria Municipal de Esportes e Lazer (Seme) informou que o contrato com a empresa que prestava o serviço de manutenção das áreas verdes chegou ao fim. Segundo a Seme, já foi acertada a contratação de uma nova prestadora de serviços e ela aguarda somente a resolução de trâmites burocráticos para a assinatura do contrato, o que acontecerá em até 15 dias.

Sobre os dejetos fecais na piscina, em um caso como esse, a piscina é esvaziada, para evitar alguma contaminação por parte dos usuários, e tratada com produtos químicos para ajuste dos níveis de pH. O processo demora de duas a três horas, dependendo principalmente de questões climáticas.

Caso o responsável seja identificado, a Guarda Civil Metropolitana (GCM) é acionada para a retirada do mesmo, evitando a exposição do indivíduo ou grupo, que é levado à administração e, se constatada a má-fé, são tomadas medidas administrativas e registrado Boletim de Ocorrência.

Os sócios dos Centros Esportivos não são obrigados a apresentar exame médico, como aponta Portaria assinada em 2016. Os monitores aquáticos, no entanto, impedem a entrada de pessoas com ferimentos abertos ou curativos de qualquer natureza, inclusive bandagem adesiva.

Deixe um comentário paraerkerrt Cancelar comentário

*