TATUAPÉ – Quem vende alimentos na rua tem um mês para entrar na lei

TATUAPÉ – Quem vende alimentos na rua tem um mês para entrar na lei

Passaram-se cinco meses após a assinatura do decreto que define as regras para a venda de comida de rua na cidade. De acordo com a Prefeitura, os “dogueiros” teriam um prazo de seis meses para se adaptarem às normas definidas pela lei. Inclusive, foi dada a eles a prioridade para receber o novo Termo de Permissão de Uso (TPU) para trabalharem no mesmo local em que já trabalham.

QUALIDADE
Pelo menos dois carros de cachorro-quente estão entre os mais frequentados da Praça Silvio Romero e receberam nota sete nas redes sociais, sendo classificados como: “o melhor da cidade”, “melhor da praça”, entre outros adjetivos. Michele Umbria, por exemplo, destacou o fato dos “dogueiros” se preocuparem em utilizar matérias-primas de boa qualidade. Flávio Carlos elogiou o serviço por propiciar aos clientes um lanche bom e rápido.

BARRACAS
Na Rua Coelho Lisboa, algumas pessoas reclamaram da demora no atendimento, mas, apesar disto, elogiaram a qualidade do hot-dog, como Thiago Cutrim e Gabriel Fabiano. Ainda dentro do tema “comida de rua”, o estacionamento do Ceret (Centro Esportivo, Recreativo e Educacional do Tatuapé) recebeu uma feira gastronômica que expôs barracas de diversas docerias e restaurantes da região. O mesmo aconteceu no Largo Nossa Senhora do Bom Parto, onde centenas de moradores também se reuniram para consumir vários tipos de pratos.

Tatuapé teve “Feira Gastronômica”, mas sua continuidade é incerta, conforme sub

Tatuapé teve “Feira Gastronômica”, mas sua continuidade é incerta, conforme sub

“DOGUEIROS”
Sobre as atividades dos vendedores de cachorro-quente do Tatuapé, a assessoria da Subprefeitura Mooca informou que, para se adequar à nova lei, especificamente, os “dogueiros” da Praça Silvio Romero precisam entregar a documentação exigida no prazo de seis meses. Ela relatou, também, que nenhum deles foi multado ou autuado, pois ainda estão em prazo de regularização. Conforme a assessoria, nos próximos dias será realizada uma ação fiscal na praça para coibir ambulantes irregulares.

FISCALIZAÇÃO
Com relação ao evento gastronômico realizado em frente ao Ceret, a assessoria da Subprefeitura Aricanduva/Formosa/Carrão divulgou que, segundo a Supervisão de Fiscalização, a feira em questão foi parte da comemoração do aniversário do Tatuapé e não será contínua. Quanto à fiscalização, a subprefeitura informou que, por se tratar de um evento particular, realizado em um espaço pertencente à Secretaria Municipal de Esportes, cabe àquela secretaria autorizar ou não a instalação das barracas. Quanto ao alvará de autorização, a assessoria do órgão revelou não ter conhecimento.

Deixe um comentário

*