TATUAPÉ – Praça terá força-tarefa

TATUAPÉ – Praça terá força-tarefa

A Praça Coronel Sandoval de Figueiredo, também conhecida como “Praça dos Perueiros”, está na mira da delegada titular do 30º DP – Tatuapé, Ana Lúcia de Souza. A delegada afirmou que, como os moradores próximos haviam reclamado da grande movimentação de pessoas e do consumo de bebidas alcoólicas e drogas no local, às sextas-feiras, ela iria pessoalmente verificar a informação.

‘JUMBÕES’
Chegando à praça, há cerca de 15 dias, Ana revelou ter se espantado com o que ela viu. Segundo a titular, eram aproximadamente 500 pessoas, entre adultos e menores de idade. “Havia venda de bebidas alcoólicas de maneira irregular, nos chamados ‘jumbões’ (caixas de isopor), além do comércio de entorpecentes, inclusive em barracas de batata frita e carrinhos de pipoca”, avisou.

REFORÇO
A delegada contou que um de seus investigadores chegou a correr atrás de um dos traficantes, contudo não conseguiu alcançá-lo. “Eu tive de chamar reforço para a situação e recebi apoio de todas as delegacias da região. A Seccional Leste, comandada pela delegada titular Elaine Maria Biasoli, liberou uma viatura de cada distrito para poder fazer o encaminhamento das pessoas ao 30º DP”, explicou Ana.

FORÇA-TAREFA
Para ela, ainda, a questão é muito grave. Sendo assim, a delegada informou que terá de ser criada uma força-tarefa para atender os diversos problemas. “Em uma das próximas abordagens será necessário reunir as polícias Civil e Militar, GCM, Subprefeitura Mooca e CET. Além desses órgãos, pedirei o apoio da OAB para que nos auxilie em outras questões”, previu.

OUTROS CASOS
Ana Lúcia também fez questão de alertar a todos, principalmente as mulheres, sobre um homem, bem-vestido, que continua abordando mulheres jovens na estação Tatuapé do Metrô. Conforme ela, o suspeito, que ainda não foi encontrado, praticou dois estupros da mesma maneira, levando as vítimas para uma área sob o Complexo Viário Padre Adelino.

Além de relembrar esses casos, a titular do 30º DP divulgou que está sendo feita uma investigação, pelo DHPP (Departamento de Homicídio e Proteção à Pessoa), sobre a morte de um cabeleireiro, ocorrida na Rua Professora Sebastiana Minhoto, ao lado da Praça Heitor Levy. Ana ressaltou que ainda não foi possível determinar se foi um homicídio ou latrocínio.

Deixe um comentário

*