TATUAPÉ – Parque Lions Clube: 1ª fase está completa

TATUAPÉ – Parque Lions Clube: 1ª fase está completa

Este mês a reportagem desta Gazeta voltou à Praça Lions Clube Penha, no Tatuapé, para verificar o andamento das obras no local que deverá ser transformado em parque. Localizada na Marginal Tietê esquina com a Rua São Felipe, a praça recebeu cerca de R$ 600 mil em emenda parlamentar direcionada pelo vereador Toninho Paiva. Desse montante, cerca de R$ 250 mil foram gastos com a instalação de gradil em volta do terreno.

APARELHOS
Outra parte do dinheiro foi usada na implantação de aparelhos de ginástica para idosos, playground de madeira, equipamentos para aquecimento e outros exercícios, além de mesas e bancos de alvenaria. De acordo com Carlos Nujud Nakhoul (Nei), morador do condomínio Splendor Square, que fica de frente para a praça, a primeira etapa do projeto foi concluída dentro do esperado pelos participantes das reuniões realizadas com técnicos da Secretaria do Verde e do Meio Ambiente, Subprefeitura Mooca, empresa responsável pelo gradil e o vereador.

RECIPROCIDADE
Para Nei, os interessados na criação do parque têm sido bem recebidos pelo subprefeito Evando Reis e pelo parlamentar. “Inclusive recebemos a visita da vice-prefeita Nádia Campeão, em outubro, na área verde. Na oportunidade, conversamos sobre as pretensões dos moradores e estudantes de escolas da região e ouvimos as explicações sobre o processo”, ressaltou.

Sem manutenção no terreno, aparelhos de ginástica ficam no meio do mato

Sem manutenção no terreno, aparelhos de ginástica ficam no meio do mato

Pessoas morando na praça ainda afastam alguns possíveis frequentadores

Pessoas morando na praça ainda afastam alguns possíveis frequentadores

BUROCRACIA
De acordo com o morador, ainda, a morosidade na continuidade do projeto se dá por conta da burocracia existente na Prefeitura. “Acreditamos que, para as construções da ciclovia, pista de caminhada e de skate terem sequência, é necessário que o prefeito Fernando Haddad aprove a transferência de responsabilidade do espaço para a Secretaria do Verde, pois atualmente pertence à subprefeitura. Após essa tramitação, a praça pode ser transformada em parque e as obras deverão continuar”, previu Nei. Por fim, ele disse acreditar na realização de uma solenidade na própria praça, de assinatura de liberação do terreno, com a presença do prefeito.

MATO ALTO
Na semana anterior foi possível verificar que o mato voltou a crescer e alguns aparelhos ficaram com a utilização comprometida. Além disso, sem-teto construíram barracas dentro do terreno e usam uma das laterais para estender suas roupas. No mesmo lugar eles também fazem fogueiras e se servem das mesas e bancos para comer e deixar seus utensílios.

ALBINO FRANCO
Conforme Nei, alguns aparelhos começaram a ser utilizados, mesmo com o lugar ainda não oficializado. Sobre os sem-teto, o morador do condomínio afirmou que assistentes sociais estão acompanhando o caso e que se trata de uma jovem e não de uma família.

A partir de agora, resta acompanhar as próximas ações da Prefeitura com relação à ocupação da área do CDC Albino Franco, que fica ao lado, e com a possível criação de um skatepark em um terreno anexo no qual havia sido proposto a construção de uma creche, mas que havia sido desaprovada pela Diretoria Regional de Educação.

Deixe um comentário

*