TATUAPÉ – AÇÃO CONTRA CRIMES

TATUAPÉ – AÇÃO CONTRA CRIMES

O 3º sargento Paulo Roberto, da 1ª Cia. do 8º BPM/M, foi o interlocutor do projeto “Vizinhança Solidária” durante a reunião do Conseg do Tatuapé. Segundo ele, o plano de segurança está sendo implantado no Tatuapé e atualmente já conta com a participação de moradores das ruas Santa Lúcia e Bonsucesso, além da Praça Silvio Romero. A intenção dele e da delegada titular do 30º DP, Ana Lúcia de Souza, é a de realizar uma palestra sobre o tema e também convidar um especialista em segurança de condomínios.

COMPORTAMENTO
Para o 3º sargento, antes de tudo, deve haver uma mudança de conduta das pessoas. Elas têm de querer uma melhor qualidade de vida e ter a atitude de proteger a todos. Como exemplo do comprometimento, Roberto citou o caso de vizinhos que, depois de terem sido avisados sobre a viagem de uma das famílias da rua, perceberam uma falha no sensor de presença do imóvel, acharam estranho, e ligaram para o 190. “Felizmente não era nada, mas fiquei feliz com a mudança de comportamento”, agradeceu. O sargento lembrou que, diferente dos dias atuais, antigamente esta atitude era natural, pois os vizinhos faziam questão de se conhecerem.

Sargento da PM colocou-se à disposição na base da Praça Silvio Romero, de segunda a sexta

Sargento da PM colocou-se à disposição na base da Praça Silvio Romero, de segunda a sexta

UNIÃO
De acordo com ele, os moradores criam mais dificuldades quando não se interessam com o que acontece ao seu redor. “Isso deve mudar para que a sociedade se torne mais unida e viva de forma mais tranquila. A população não deve ter medo de prestar atenção aos lugares por onde caminha, pode denunciar problemas gerados por um terreno abandonado, cobrar mais iluminação quando vir um local escuro e avisar a PM sobre atividades suspeitas”, avisou Roberto. Caso o problema não esteja diretamente ligado à polícia, o sargento afirmou que pode encaminha-lo aos órgãos competentes.

ORIENTAÇÃO
Com o “Vizinhança Solidária”, o morador será orientado a observar a presença de pessoas desconhecidas andando pelas ruas. O participante do projeto também aprenderá a prestar atenção na rua em que está e nas características dos indivíduos que não moram na região. Quem estiver engajado no plano ainda receberá dicas de segurança via mala direta, além da visita de policiais. Eles irão anotar os dados dos moradores e explicar o funcionamento do projeto.

SÍNDICOS
O mesmo acontecerá com os síndicos de prédios que receberão, além de tudo, explicações específicas para o entorno do condomínio em que vivem. Cada local será avaliado e a ação deverá ser planejada em conjunto. Por fim, o sargento colocou-se à disposição de todos os interessados que quiserem encontrá-lo na base da Praça Silvio Romero, de segunda a sexta. Os representantes de edifícios também poderão fazer um cadastro através do e-mail: icnez@ig.com.br.

Deixe um comentário

*