São Paulo, 22 a 28 de julho de 1979 Ano V – nº 221

ANUNCIADO PROJETO DA VIA LESTE
A construção de uma nova rodovia – a Via Leste –, que terá 115 quilômetros de extensão e correrá paralela à Via Dutra, foi anunciada pelo secretário dos Transportes, Leon Alexander. A estrada, que partirá de Taubaté, atingindo Guarulhos, facilitará o acesso ao aeroporto de Cumbica, além de beneficiar o transporte rodoviário dos diversos municípios do macro-eixo paulista. O traçado da Via Leste passará nas proximidades dos municípios de Mogi das Cruzes, Itaquaquecetuba, Guararema, Jacareí, Paraibuna e Caçapava Velha, chegando até o Tatuapé. O tráfego que circula na Via Dutra é elevado – 84 mil veículos diariamente – o que provoca muitos congestionamentos.

ARS VÃO ATENDER AOS DOMINGOS
O secretário das Administrações Regionais, Francisco Nieto Martin, afirmou, ao apresentar aos novos administradores regionais, que a meta principal da atual administração municipal é o atendimento à periferia da cidade, visando dar melhores condições de vida aos seus habitantes. Serão enviados, todos os domingos, assessores jurídicos da Secretaria das ARs para atender a população no que diz respeito a problemas relacionados com loteamentos clandestinos. Também serão fornecidas plantas de moradias populares. Para isso, serão mantidas em todas as ARs servidores de plantão todos os domingos.

MAIS TRÊS PONTILHÕES NA PERIFERIA
Mais três pontilhões serão construídos pela Prefeitura em bairros da periferia da cidade, situados nas áreas das Administrações Regionais de Vila Maria–Vila Guilherme, Campo Limpo e Vila Prudente, conforme programação fixada pela Secretaria de Vias Públicas. As novas obras visam facilitar o acesso entre as regionais distantes do centro. Uma das obras será executada sobre o Córrego da Paciência, no Jaçanã, em uma área de 136 metros quadrados da Rua Vasconcelos. No Parque Fogueira Grande, em Campo Limpo, será feita a substituição de um pontilhão sobre o Córrego Guavirituba, na estrada da Riviera. O terceiro pontilhão será construído em Vila Prudente, na Rua Cônego Antonio Dias Pequeno, sobre o Ribeirão das Pedras.

OBRAS DO METRÔ DEVERÃO ATRASAR
As obras do Metrô linha Leste-Oeste deverão sofrer um atraso de aproximadamente seis meses, em razão da demora com que foi aprovado o orçamento da companhia para este ano. Entregue ao governo federal em outubro de 1978, somente no início deste mês foi devolvido a São Paulo, com nove meses de atraso e um corte de três bilhões de cruzeiros. O presidente da Cia. do Metrô, José Maria Siqueira de Campos, deverá ter um encontro com o governador ainda este mês para discutir o orçamento da empresa. Se não ocorrerem novos cortes em 1980, o atraso no trecho Santa Cecília-Tatuapé será recuperado. O trecho seguinte, até Itaquera, dependerá das definições governamentais, embora a prioridade seja atingir a região dentro de quatro anos.

AUMENTAM DESABRIGADOS NO CETREN
A queda da temperatura na Capital aumentou a população abrigada na Central de Triagem e Encaminhamento – Cetren – órgão da Secretaria da Promoção Social. Somente na noite de terça para quarta-feira, foram recolhidas 179 pessoas que dormiam nas ruas, totalizando 459 desabrigados naquele centro. O recolhimento de indigentes e pessoas carentes que não têm onde ficar, principalmente nas noites frias do inverno paulistano, foi intensificada a partir do dia 11 deste mês, quando foi oficialmente inaugurado o Comando de Ação Social, pelo secretário Antônio Salim Curiatti. Somente nos cinco primeiros dias de efetivo funcionamento, foram atendidas 30 pessoas. O serviço funciona com quatro viaturas durante o dia.

PREFEITO AVALIA PROBLEMAS DO MUNICÍPIO
O atual estagiário da execução orçamentária de 1979 foi apresentado ao prefeito Reynaldo de Barros pelo secretário municipal de Finanças, Pedro Cipollari. Durante o encontro foi avaliada também a proposta orçamentária daquela Secretaria para o próximo ano, que deverá ser definida em setembro. Além de estudar problemas ligados ao setor financeiro da Prefeitura, Reynaldo de Barros recebeu o pedido de demissão do presidente da Emurb, Ernest Mange, com quem conversou sobre problemas ligados à urbanização e planejamento da cidade.

Deixe um comentário

*