Principais escolas particulares do Tatuapé (Até 2006)

Principais escolas particulares do Tatuapé (Até 2006)

Colégios Califórnia e Califórnia Jr.
Em 1970, instalava-se na Rua Santa Gertrudes, o Curso de Madureza Califórnia. Em 1974, a entidade muda-se para a Rua Antonio de Barros. Em 1978, atendendo à legislação, foi rebatizado como Supletivo Califórnia e, posteriormente, Colégio Califórnia. Em 1996, João José de Sá Gonçalves e Maria Consuelo Sevilla Gonçalves, com seus diretores, fundaram o Colégio Califórnia Jr., este voltado para a educação infantil. As duas unidades dedicam-se ao ensino dos seguintes cursos: educação infantil, ensino fundamental I e II e médio e alfabetização gratuita para jovens e adultos. Possuem 16 salas de aula e 235 alunos.

Colégio Espírito Santo
O Colégio Espírito Santo é uma entidade confessional católica, dirigida pelas religiosas da Congregação Missionária das Servas do Espírito Santo. A Congregação é de origem alemã e foi fundada pelo padre Arnaldo Janssen, este canonizado em 5 de outubro de 2003. A casa de ensino foi inaugurada em 1931, sob a designação de Escola Paroquial (anexa à Capela Cristo Rei). Durante muitos anos denominou-se Educandário Espírito Santo, depois teve anteposto ao nome as designações de Ginásio e Escola de 1º Grau, para finalmente ter definida a denominação atual. Quando Escola Paroquial, ficava na Rua Maria Eugênia, 104, ao lado da igreja. Em 1941, mudou-se para o magnífico prédio de dois pavimentos, na Rua Tuiuti, em terreno de mais de 11 mil m2. É dirigido pela irmã Regina Célia Andrade Paula. O colégio dedica-se à educação infantil, ensino fundamental e ensino médio.  Possui 824 alunos.

Colégio Integrar
Em 1989, o Centro de Vivência e Integração do Excepcional instalava-se na Rua Serra de Juréa. Iniciou como curso de educação especial dirigido somente para alunos excepcionais. Até instalar-se em sua atual sede, na Rua Andres Lamas,  funcionou na Rua Antonio de Barros e na Rua Vilela. Atualmente, como Colégio Integrar, dedica-se à educação infantil, ao ensino regular com inclusão e ao fundamental de 1ª a 8ª série.

Colégio Jardim Anália Franco
Foi inaugurado em dezembro de 1980, tendo como objetivo inicial o ensino infantil. Sua primeira denominação foi Amiguinho – Núcleo de Educação e Recreação. Em 1994, ampliando sua meta para o ensino fundamental de 1ª a 4ª série, teve o nome alterado para Colégio Jardim Anália Franco. O Colégio, dirigido por Arlete Arantes Fontoura Herrera, conta atualmente com 570 alunos.

Colégio Lavoisier
Desde meados dos anos 30, o Tatuapé vinha sofrendo um lento processo de industrialização, que se acelerou nas décadas de 50 e 60. Uma variada gama de indústrias se espalhou por todos os rincões do bairro, produzindo uma incontável variedade de produtos. Atentos para o fenômeno e visualizando a necessidade futura de mão-de-obra qualificada, os irmãos Ovídio Martinez. Luiz Martinez, professores, e Manuel Pereira da Silva, coronel da Polícia Militar, criaram o Colégio Lavoisier. Instalaram-no na Avenida Celso Garcia por ser aquela região, na época, a mais próspera do Tatuapé. Em 1966, são implementados os dois primeiros cursos: o ginasial e o técnico de química industrial. Atualmente o Colégio Lavoisier desenvolve os seguintes cursos técnicos: eletrônica, informática e enfermagem, além do ensino médio.

Colégio Lumière
Em 29 de dezembro de 1994, era inaugurado o Colégio Jean Louis Lumière. Cinco anos depois, adotava nova denominação: Colégio Lumière. A escola, dirigida por Isilda das Neves Palumbo, possui 411 alunos e desenvolve os cursos de  educação infantil, ensino fundamental I e II, ensino médio e o pré-vestibular.

Colégio Mary Ward
Em 1º de agosto de 1939, iniciava suas atividades em uma pequena casa de ensino de nome Escola Particular Santa Maria. A sede era no mesmo lugar que ocupa hoje, ou seja, na Rua Gonçalo Nunes, na Vila Califórnia. Como tantas outras da região, esta escola começava de forma rudimentar, pois a situação da população local era precária. Com o passar do tempo, a melhora nas condições socioeconômicas dos moradores, acabou se refletindo nas condições da escola. Em 29 de dezembro de 1966, já mais estruturada, teve a denominação alterada para Ginásio Maria Ward. Em 1970, para Escola de 1º e 2º Grau Maria Ward. Em 1983, passou para Colégio Maria Ward e, em 1970, apenas uma correção no nome da patrona de Maria para Mary.

Atualmente, em seu novo e magnífico edifício, dispõe de 48 salas de aula onde estudam 1.499 alunos. À noite, as aulas são direcionadas para os alunos do EJA – Educação de Jovens e Adultos. Possui cursos de educação infantil, ensino médio e fundamental. Dispõe de um extraordinário teatro (Teatro Eva Wilma) para solenidades e apresentações artísticas.

Colégio Objetivo
Em 27 de fevereiro de 1981, como Centro Interescolar Objetivo de Ensino de 1º e 2º Grau – Unidade XI, este colégio iniciava suas atividades. Três anos depois, foi rebatizado com a denominação de Centro Interescolar Objetivo – Unidade Tatuapé. Foi seu primeiro endereço: Rua Azevedo Soares, 1.083. Nele se manteve até 14 de julho de 1982, quando mudou-se para a Rua Coelho Lisboa. A escola dedica-se ao ensino médio e é dirigida por Maria Tercília.

Colégio Santa Amália
A Unidade Tatuapé do Colégio Santa Amália surgiu em 1999, após a fusão de duas entidades provedoras da Liga das Senhoras Católicas: o Recanto das Andorinhas e a Escola de Educação Infantil Colibri. Estas iniciaram suas atividades em 27 de dezembro de 1971, sendo que sua entrada principal estava voltada para a Rua Cantagalo.

Instalado no prédio que ambas ocupavam, o colégio passou a oferecer os cursos de educação infantil e ensino fundamental. A escola é administrada por Luiza Andrada, Silva Ferrari e Sylvia Sobihe. Em seu espaço de 6.500 m2, inten-samente gramado e arborizado, são atendidos 209 alunos.

O nome do colégio é uma homenagem à condessa Amália Matarazzo, grande benfeitora da Liga das Senhoras Católicas, sua mantenedora.

Colégio Santo Antonio de Lisboa
Em 1939, iniciava a trajetória desta instituição como Externato Santo Antonio de Lisboa. Em 1975, foi rebatizada como EPSG Santo Antonio de Lisboa. Finalmente, após 2002, definiu-se a atual denominação. Seu endereço inicial foi na Rua Santa Gertrudes, 152. É dirigido pela irmã Luci Rocha Freitas e atende 1.870 alunos. A instituição ministra cursos de educação infantil, ensino fundamental e ensino médio. Pertence à entidade mantenedora Associação União Beneficente das Irmãs de São Vicente de Paulo de Gysegem.

Colégio São Francisco de Assis
Com a designação de Escola Paroquial Nossa Senhora do Bom Parto, instalava-se em 1926, esta instituição de ensino com o objetivo de ministrar o curso primário e fundamental às crianças da região. A escola pertencia à paróquia e dava início às suas atividades sob a direção das irmãs vicentinas. Em princípio ocupou um antigo casarão térreo situado na Rua Euclides Pacheco, 463. Em 1962, mudou-se para o lado oposto da mesma rua. O casarão citado foi demolido, sendo erguido no terreno o prédio do Hospital e Maternidade Nossa Senhora do Bom Parto, que acabou não funcionando. Neste prédio instalou-se anos depois o atual posto do INSS.  Em 1938, a direção da escola passou para as irmãs da Terceira Ordem Seráfica de São Francisco, as atuais irmãs franciscanas da Ação Pastoral. Em abril de 1947, a escola passou a denominar-se Educandário São Francisco de Assis. Em 1966, nova denominação: Ginásio São Francisco de Assis. Finalmente, em 1972, conseguida a autorização para ministrar o curso de 2º grau, definiu-se o nome atual. O Colégio São Francisco de Assis, dirigido pela irmã Maria José Mendes dos Santos, possui 560 alunos. Dedica-se à educação infantil, ensino fundamental e ensino médio.

Colégio São José do Maranhão
Foi fundado em 1999, na Rua Arnaldo Cintra. O colégio, com 241 alunos conta com berçário, cursos de educação infantil, fundamental I e II, ensino médio e educação especial.

Escola de Educação Infantil Uni-Duni-Tê
Uma das escolas de educação infantil mais antigas e tradicionais do bairro. Foi fundada em 29 de novembro de 1982. O primeiro endereço foi na Rua Coelho Lisboa, seguindo-se para a Rua Armindo Guaraná e, desde 1996, está na Rua Padre Landell de Moura. Sua mantenedora é a psicóloga e pedagoga Liana Crecco, a primeira professora contratada da instituição.

Escola de Educação Infantil Xodó
A Xodó foi inaugurada em agosto de 1985, na Rua Azevedo Soares, com o objetivo de ser uma escola de educação infantil que respeitasse verdadeiramente o fundamental da infância: a brincadeira, a imaginação e a alegria de ser criança. Suas mantenedoras são a psicóloga e psicopedagoga Márcia de Cássia Pimentel e a pedagoga Savanah Toratti. Nestes 20 anos de atuação, mais de 1.200 alunos passaram pela escola.

Faculdade e Colégio Carlos Drummond de Andrade
Com uma única sala de aula e pouco mais de uma dezena de alunos, a história do Grupo Educacional Carlos Drummond de Andrade começou, em 1969, com o sonho de um jovem de 20 anos chamado Osmar Basílio. Ele escolheu seguir a carreira de professor, enquanto seus amigos optavam por medicina, advocacia ou pela carreira militar, muito comum na época. Em 1980, Osmar assume a administração da Escola João XXIII, situada no bairro da Penha, que na época possuía pouco mais de 100 alunos e 11 salas de aula. Em 1986, agregou a unidade da Ponte Rasa. Em 1987, com o falecimento do poeta Carlos Drummond de Andrade, surgiu a idéia de homenageá-lo, já que Osmar era um entusiasta de sua obra. Em 1988, surgia o Colégio Carlos Drummond de Andrade – Unidade Tatuapé, na Rua Professor Pedreira de Freitas. O Colégio Alvorada, de grande tradição no bairro da Vila Formosa, juntou-se ao grupo em 1991 e ao efetivo comando do professor Osmar em 2002. Hoje, o Grupo Educacional Drummond é uma das mais respeitadas instituições de ensino do Brasil, por seu pioneirismo em novas atividades, inclusive aliando o estudo ao esporte.

Em 1990, começou uma árdua luta para implantar os cursos de graduação superior, iniciados no segundo semestre de 1998, com o curso de administração de empresas. Em 1999, surgiu o curso de ciências contábeis e, logo a seguir, os cursos na área de informática. Após o sucesso dos cursos de bacharelado, com graduação em quatro anos, a instituição voltou-se para os cursos com formação em dois anos. Em 2001, o Grupo Educacional (Drummond e João XXIII) teve o privilégio de ser um dos primeiros centros superiores de tecnologia privados – hoje chamados de faculdades de tecnologia – aprovados e reconhecidos pelo MEC. Isso representou uma transformação na educação superior no Brasil, pois, atualmente, praticamente todas as faculdades, centros universitários e universidades mantêm cursos superiores de tecnologia.

O Grupo Drummond conta, em suas quatro unidades, com mais de 200 salas de aula, vinte laboratórios, teatro, anfiteatro, salas de vídeo, bibliotecas informatizadas e atualizadas, quadras poliesportivas, para atender seus mais de seis mil e quinhentos alunos.

Instituição de Ensino Colégio Amorim
Iniciou as atividades no Tatuapé em 24 de janeiro de 2003, instalando-se no prédio da Rua Cantagalo. Sonia Regina de Amorim, sua proprietária e diretora, nutria a esperança de manter o quadro de alunos do Colégio Gomes Cardim, que estivera instalado no mesmo local durante vários anos. Ficou frustrada quando quase metade dos pais retirou seus filhos. Um dos motivos, explicou ela, foi o preconceito inicial por sua escola ter vindo do município de Ermelino Matarazzo. Aos poucos, demonstrando seriedade e rara competência, o colégio vem se firmando. Em Ermelino, a instituição iniciara em 1988, como Escola de Educação Infantil Chuvisco. Em 1995, um salto qualitativo: como Colégio Amo-rim, passou ao desenvolvimento do ensino fundamental. A proximidade com a Praça Silvio Romero e importantes ruas comerciais, as adequadas condições do prédio e a pujança do Tatuapé influíram em sua escolha.

Universidade Paulista
Em 1972, surgia o Instituto Unificado Paulista – IUP – na cidade de São Paulo. A instalação da Universidade Paulista na Zona Leste da capital iniciou-se em 1998, com a criação do campus Anália Franco, na Avenida Vereador Abel Ferreira, no qual passaram a ser ministrados os cursos de administração de empresas, análise de sistemas, ciência da computação, direito, propaganda e marketing e turismo. Dois anos depois, uma nova unidade foi instalada no Tatuapé, esta na Rua Antonio Macedo, 505, Parque São Jorge, naquela época oferecendo os cursos de educação física, farmácia e bioquímica, fisioterapia e psicologia.

Em 2004, por uma questão de logística, administrativa e de facilidades quanto à rotina dos estudantes, a Unip Tatuapé incorporou os cursos do campus Anália Franco. O resultado da fusão originou um crescimento considerável, pois mais de quatro mil alunos matriculados passaram a beneficiar-se das dezenas de cursos superiores oferecidos por essa importante instituição de ensino.

Universidade São Marcos
A história da Universidade São Marcos tem início em 29 de maio de 1970, quando o professor Ernani Bicudo de Paula fundou a Faculdade de Filosofia, Ciências e Letras São Marcos. A nova entidade de ensino instalava-se no local onde funcionara anteriormente o Colégio São José, no bairro do Ipiranga. Nessa época, este bairro apresentava-se como o terceiro do município em densidade populacional. Pelo critério de zoneamento geopopulacional, poderia ser praticamente considerado uma unidade autônoma. No entanto, apresentava significativa carência com relação ao campo do ensino superior. A instalação das Faculdades São Marcos na região contribuiu para amenizar o quadro de falta de ofertas de vagas.

Os cursos implantados já demonstravam a vocação humanística da instituição: ciências sociais, estudos sociais, letras, pedagogia e psicologia. Cerca de 1.800 alunos matricularam-se por ocasião do primeiro vestibular, este ocorrido em 14 de fevereiro de 1971.

A Unidade Central, no bairro do Ipiranga, foi o local onde começou a funcionar, em 1970, a Faculdade de Filosofia, Ciências e Letras São Marcos. O projeto arquitetônico do prédio foi elaborado pelo escritório do engenheiro Ramos de Azevedo, na década de 20. Nos anos 60, foi sede do Ginásio e Colégio Comercial São Marcos. Ao criar-se a faculdade, a denominação São Marcos foi mantida pelo reitor Ernani Bicudo de Paula, pois o evangelista foi um emérito educador.
Em 2003, ocorreu a inauguração do campus Tatuapé da Universidade São Marcos, com capacidade para atender a quatro mil alunos.

Universidade da Cidade de São Paulo – Unicid
Em 7 de janeiro de 1971, um grupo de educadores idealizava a criação da Associação do Ensino Superior Paulistana – AESP. A reunião para levar a cabo tal ideia ocorreu na Rua Arnaldo Valardi Portilho, no bairro da Penha, residência do professor Glady Felix Del Buono Trama, um dos idealizadores.

A Associação de Ensino Superior Paulistana – AESP, com sede e foro na cidade de São Paulo, bairro da Penha, teve seu estatuto inscrito em 8 de julho de 1971. Desde aquela data inicial até 1981, a entidade sofreu várias alterações.

Em 1997, a Associação de Ensino Superior Paulistana transformou-se na Sociedade Educacional Cidade de São Paulo – Secid, sociedade civil por quotas de responsabilidade limitada. Em 4 de outubro de 2000, falece o professor Remo Rinaldi Naddeo – o presidente – sendo substituído por Paulo Eduardo Soares de Oliveira Naddeo.

Portanto, da criação da Aesp e Secid, os responsáveis chegaram à fundação das Faculdades da Zona Leste. Em 1981, as Faculdades da Zona Leste mudam-se para o Tatuapé, em edifício de 5.600 m2, na Rua Cesário Galeno, 432 a 448. Em 1991, as FZL ocupavam uma área de 16.410 m2, distribuída em 7 prédios. Em 6 de outubro de 1992, as Faculdades da Zona Leste de São Paulo transformam-se em  Universidade Cidade de São Paulo. Em 2000, a Unicid passa a ocupar uma área  de 41.800 m2 em terreno de 220.600 m2, isso em face da verticalização dos seus espaços.

Deixe um comentário

*