Polo Institucional de Itaquera emperra

Polo Institucional de Itaquera emperra

Moradores de Itaquera continuam esperando pela continuidade da implantação do Polo Institucional da região, que deveria estar localizado na Avenida Radial Leste, em frente ao Terminal de Ônibus (em expansão) e ao lado da estação do Metrô. Proposto para ser construído no período da Copa de 2014, o plano iria levar para a região Fórum Judiciário, Fatec e Etec, Senai, laboratórios para a área de tecnologia de informação, Centro de Convenções e Eventos, Batalhões da Polícia Militar e Corpo de Bombeiros e um prédio da Obra Social Dom Bosco.

Projeto foi apresentado em 2014, mas, até agora, poucas obras saíram do papel

De acordo com empresários da região, a intenção do Polo era do de gerar mais empregos na região e fazer com que os trabalhadores não precisassem se descolar até o centro da cidade todos os dias para trabalhar. Ao mesmo tempo, o bairro receberia empresas dotadas de cursos nas áreas de tecnologia, produção industrial, marketing, entre outros. Com o espaço voltado a diversos setores de serviços, muitos jovens seriam acolhidos pelos novos empreendimentos que surgiriam no entorno.

Prefeitura e Estado desenvolveram o projeto, que inclusive culminou na entrega do sistema de ensino tecnológico Fatec/Etec, mas os investimentos foram abandonados. Desde a concepção do plano, o terreno vem sendo utilizado para receber propostas esporádicas de atendimento à Saúde, de prestações de serviços municipais, com caminhões e, nos últimos meses, está recebendo o “Música na Zona Leste”, idealizado pela Fiesp.

O estudante da Etec, Vinicius Ferreira, afirmou que a falta de investimento na região tem projudicado principalmente os jovens em busca do primeiro emprego. Itaquera não oferece muitas opções porque as grandes empresas não confiam em implantar seus negócios sem que haja um mínimo de formação especializada em algumas áreas. Se o Polo chegasse, com o apoio das secretarias municipais e estaduais, universitários de diversos campos do conhecimento poderiam participar desse desenvolvimento. “Espero que os órgãos do governo percebam como a crise está afetando quem procura assinar a carteira de trabalho pela primeira vez”, concluiu.

Prefeitura dá seu parecer

De acordo com a Secretaria Municipal de Desenvolvimento Econômico, em 2017 foi constituído um grupo de trabalho envolvendo secretarias municipais e órgãos da Prefeitura para analisar os resultados da Lei 15.931/2013, que dispõe sobre a criação do Programa de Incentivos Fiscais para Prestadores de Serviços na Região Leste da Cidade de São Paulo.

Conforme a pasta, após os estudos encerrados no primeiro semestre de 2018, o grupo de trabalho identificou a necessidade de aprofundar as políticas públicas para o desenvolvimento local.

O órgão relatou que, para a geração de oportunidades da Zona Leste, outros projetos estruturantes da cidade, que envolvem as esferas estadual e federal, devem ser executados em paralelo como a ampliação da rede de transporte público, infraestrutura de telecomunicações, melhoria de serviços de energia, água, saneamento, segurança pública, revisão de parâmetros urbanísticos, obtenção de alvará e de licenciamento.

A Secretaria divulgou, ainda, ter ampliado, em agosto deste ano, o grupo de trabalho, que passou a contar com a participação de outros órgãos da Prefeitura. Por fim, avisou que o grupo começará a se reunir a partir de deste mês para verificar as possíveis ações que poderão ser desenvolvidas na região.

Estado também responde

Estado afirmou que sua obrigação no Polo era entregar o Complexo Viário e a passarela

Para a Secretaria Estadual de Desenvolvimento Econômico, Ciência, Tecnologia e Inovação, todas as obras do governo do Estado, no Polo Institucional de Itaquera, em virtude da Copa do Mundo de 2014, foram realizadas. Todos os compromissos firmados foram cumpridos. O Estado direcionou aplicação de recursos exclusivamente a obras estruturantes e de mobilidade urbana que beneficiaram permanentemente a população, e não somente para a Copa do Mundo. Os investimentos somaram R$ 610,5 milhões (R$ 459,9 milhões do Tesouro do Estado e R$ 150,6 milhões da Prefeitura).

Dentre essas obras, expôs o órgão, estão a conclusão do Complexo Viário Itaquera e a modernização dos trens do Metrô e CPTM que atendem a região, e a inauguração da Fatec e Etec. Segundo a assessoria, o governo do Estado, por meio da Dersa e em parceria com a Prefeitura, realizou seis obras com o objetivo de favorecer a mobilidade na Zona Leste e os acessos ao Polo Institucional de Itaquera.

1 – Nova avenida de ligação Norte–Sul, no trecho entre a Avenida Itaquera e a Avenida José Pinheiro Borges (Nova Radial), incluindo as transposições em desnível sobre as linhas do Metrô e da CPTM; 2 – Nova avenida articulando a Ligação Norte–Sul com a Avenida Miguel Inácio Curi, junto à adutora da SABESP existente; 3 – Passagem em desnível (mergulhão) na Rua Dr. Luis Aires (Radial Leste), no trecho em frente às estações do Metrô e da CPTM; 4 – Rotatória e alargamento de pista no cruzamento da Avenida Miguel Inácio Curi com a Avenida Engenheiro Adervan Machado; 5 – Duas novas alças de acesso entre a Jacu-Pêssego e a Nova Radial, com pontilhão sobre o Rio Verde para passagem de veículos na Avenida Rosa Campanella; 6 – Passarela sobre a Radial e os trilhos na altura da Cohab (Artur Alvim).

Para a secretaria, as ações que permitiram maior integração entre as áreas norte e sul do bairro – encurtando o trajeto em cerca de 60% e integrando as vias existentes que favoreceram a circulação e o melhor acesso dos pedestres às estações de trem e metrô.

Deixe um comentário

*