PM não consegue acordo com Prefeitura

PM não consegue acordo com Prefeitura

O capitão Edson Serra, comandante da 2ª do 51º Batalhão da PM, afirmou, durante reunião do Conseg Parque São Jorge, que precisa do apoio de outros órgãos como Subprefeitura Mooca, Psiu (Programa do Silêncio Urbano), CET e GCM (Guarda Civil Metropolitana) para poder cessar os “pancadões” que ainda ocorrem em ruas como a Cesário Galeno e Antonio Macedo. Com relação aos “bailes funk” organizados dentro da Comunidade do Pau Queimado, o capitão, em conjunto com a Força Tática e a Rocam, tem feito uma série de abordagens nas proximidades e na área interna do conjunto de casas, quando é necessário.

De acordo com o comandante, muitos comerciantes desfizeram um acordo feito com a PM para que eles deixassem de ocupar as calçadas além do limite permitido pela Prefeitura e não vendessem mais bebidas de garrafa. “Nossa preocupação sempre foi a de proteger as pessoas, no caso de possíveis brigas, e de manter a circulação do trânsito, de maneira que os motoristas tivessem o direito de ir e vir”, explicou Serra. Segundo ele, ainda, infelizmente muitas pessoas extrapolam o limite. O que pode ser considerado um alívio, por enquanto, é que esse ano letivo deve se encerrar nos próximos dias.

Outro ponto que está em análise na CET diz respeito à mudança de direção no trânsito da Rua Cesário Galeno. Ao invés dos veículos seguirem na direção da Rua Melo Peixoto, eles circulariam no sentido inverso, na direção da Rua Honório Maia. Além disso, os moradores também pediram que fossem retiradas as vagas de estacionamento em 45 graus, impedindo a aproximação de carros com caixas de isopor com bebidas. Essas alterações inibiriam o risco de ocorrer um grande acúmulo de pessoas no local.

Deixe um comentário

*