Obras para minimizar a crise

Obras para minimizar a crise

Com as altas temperaturas deste inverno, São Paulo já sofre as consequências do aquecimento com o agravamento da falta de água nos mananciais que abastecem a cidade. O tempo seco também é outro fator negativo. Na terça-feira, dia 4, a Sabesp informou que todos os reservatórios apontaram queda em seus níveis.

O Sistema Cantareira operava com 18,4%, o Alto Tietê com 17,7%, Guarapiranga, 75,3%, Alto Cotia com 60,1%, Rio Grande com 88,2% e Rio Claro com 70,6%.

Para driblar os problemas, o Sistema Rio Claro passou a abastecer alguns bairros da Zona Leste através da conclusão de uma obra que reduz o uso da água do Sistema Cantareira.

“A companhia executou nova ligação entre duas adutoras na Vila Ema, ampliando o transporte de água pelo aqueduto do Sistema Rio Claro, uma tubulação de 80 km de extensão que parte de Salesópolis. A conexão passa a transferir água para uma adutora de aço que segue até a Mooca.”

Através desta ligação são enviados mais 500 litros de água por segundo do Sistema Rio Claro (volume é suficiente para abastecer cerca de 200 mil pessoas) para os bairros da Mooca, São Mateus, Vila Formosa, Vila Alpina e Sapopemba – antes eram atendidos principalmente pelo Cantareira.

A Sabesp disse ainda que, com a finalização desta obra faz com que 80% do fornecimento de água para os bairros seja do Rio Claro, com os 20% restantes provenientes do Cantareira. “O aqueduto do Sistema Rio Claro, que parte de Salesópolis, é uma tubulação de concreto de 2,7 metros de altura e 80 km de extensão.

META É ECONOMIZAR
Para não deixar a água “escorrer pelo ralo”, a Sabesp dá algumas dicas. Banheiro – o banho deve ser rápido. A economia será ainda maior se, ao se ensaboar, fechar o registro. Ao escovar os dentes, molhe a escova e feche a torneira enquanto faz a higienização. Não deixe a torneira aberta ao lavar o rosto ou se barbear. Não acione a descarga à toa, mantenha a válvula da descarga sempre regulada e conserte os vazamentos assim que eles forem notados.

Cozinha – limpe os restos de comida das louças com uma esponja e sabão e só depois abra a torneira para molhá-los. Ensaboe tudo que tem que ser lavado e, então, abra a torneira novamente para o novo enxágue. Só ligue a máquina de lavar louças quando a mesma estiver cheia.

Área de serviço – caso use a lavadora de roupas, procure utilizá-la cheia e ligá-la no máximo três vezes por semana. Se usar o tanque, deixe as roupas de molho e reutilize a mesma água para esfregar e ensaboar. Use água nova apenas no enxágue e aproveite esta última para lavar o quintal, a área de serviço ou a calçada.

Jardim e piscina – use um regador para molhar as plantas ao invés de utilizar a mangueira. A rega durante o verão deve ser feita de manhãzinha ou à noite, o que reduz a perda por evaporação. Mangueira com esguicho-revólver também ajuda. A piscina deve permanecer coberta para evitar a evaporação da água.

Calçada e carro – adote o hábito de usar a vassoura e não a mangueira para limpar a calçada e o pátio da sua casa. Se houver uma sujeira localizada, use a técnica do pano umedecido com água de enxágue da roupa ou da louça. Use um balde e um pano para lavar o carro ao invés de uma mangueira. Se possível, não o lave durante a estiagem.
Vanessa de Sousa Fernandes

Deixe um comentário

*