‘O todo poderoso’

O “todo poderoso” redescobridor do Brasil já anunciou sua candidatura para 2018. Claro que não é novidade, mas nem esperou o “defunto esfriar” e a viúva assumir. Já se candidatou.

Com certeza, mais do que nunca, ele será um verdadeiro “carrapato” nos pés da “toda poderosa”. Ele não vai admitir falhas porque, para se eleger, aprendeu que pelo menos 50% do povo brasileiro não vai perdoar mais tantos erros e deslizes.

Realmente os conceitos de vida do “sapo barbudo” não comungam com os ideais de um povo que demonstrou nas urnas que cresceu, desenvolveu-se e não aceita mais embusteiros e aventureiros que iludem com mentiras e com artimanhas que enredam as pessoas com armações que ofuscam a boa fé de um povo disciplinado, ordeiro e fiel.

Em um país continental como o nosso, as realidades de cada Estado, de cada região e até de cada bairro, são completamente diferentes. Não pode haver uma unanimidade, pois sempre haverá a divergência. O que não pode acontecer é a manipulação das pessoas, aproveitando-se de suas necessidades primárias, de sua desinformação e fragilidade.

Como é triste ver essa realidade e sentir-se absolutamente impotente contra tudo isso. Em uma democracia como a nossa não há como evitar, vence a maioria.

A grande vantagem dessas eleições foram as lições que ficaram e as demonstrações de realidades que o PT não esperava, chegando mesmo a temer que tudo estaria perdido, não fossem as manobras  de uma campanha sórdida e sorrateira.

Agora serão mais quatro anos. Ela fala em reforma política, mas isso é tudo o que ela e toda a tropa do PT não querem. Tem de ficar na forma como está, pois assim eles vêm ganhando e em time que ganha não se mexe.

É uma cortina de fundo, é apenas um balão de ensaio, mas já demonstrou que tudo continuará como antes. Fala em conciliar, em acordos, em pontes, mas conhecemos bem seus métodos.

“O todo poderoso” vai governar mais do que nunca, e não permitirá tropeços. Agora, a questão é que o doleiro ainda tem muito que falar, porém, se falar sem provar, poderá ter um acréscimo na pena de mais quatro anos. Como ele quer se livrar da cadeia, é bem possível que não esteja mentindo.

Mesmo se tudo o que ele disser ficar provado, não nos iludamos. Vamos aguardar mais 12 anos, afinal, o povo quis assim, e aí voltaremos a conversar.

Deixe um comentário

*