O recomeço muito difícil

Já se sabia que o descalabro da gestão petista traria consequências incalculáveis e até mesmo irrecuperáveis.

Esperamos que Michel Temer apresente mesmo um relatório completo, apresentando os números verdadeiros do rombo deixado nas finanças públicas.

Sempre dissemos que nenhum dos números apresentados por Lula e Dilma eram confiáveis, tudo mascarado, distorcido e irreal, só para enganar o povo e, com isso, angariar votos.

Ela disse que o negócio é não ter meta, mas atingir a meta. Era mais uma mentira, pois a única meta dela e dele era reeleger-se para sempre. No entanto, após os últimos acontecimentos, o atingimento da meta acabou durante pouco tempo, embora isso tenha nos causado uma sangria desvairada, um sacrifício muito grande.

Ainda não contentes com tudo isso, eles continuam agindo. Agora a sra. presidente afastada, ainda do alto de sua pompa como mandataria com poderes suspensos, continua dando as cartas e jogando de mão com o nosso dinheiro. É inacreditável que ela não tem limites. Mesmo com os poderes suspensos, ela continua tentando desacreditar o governo, carregando o nome do País para o fosso até suas profundezas, pois, ao dar entrevistas internacionais, não se cansa de bradar pelo “golpe”, tenta sob todas as formas convencer a imprensa internacional de que se instaurou um regime de golpe.

Continua mentindo e disfarçando, utilizando do bem público e do dinheiro público com todas as benesses do cargo, desfrutando tudo do bom e do melhor, na falta de caráter e de vergonha sem precedentes e difamando o País.

É preciso que ela, o seu grande mentor e seus militantes, de uma vez por todas, se convençam que eles perderam, que precisarão repensar o seu futuro e recomeçar, mas que o façam de maneira sadia, honesta e correta. De outra forma, já sabem que não serão mais aceitos.

O presidente em exercício, Michel Temer, está iniciando muito bem seu mandato. Já se sabia das dificuldades, mas ele errou um pouco na escolha de alguns ministros, especialmente aqueles que estão envovidos em investigações da “Lava-Jato”. Mesmo assim, convenhamos, realmente é muito dificil encontrar alguém que não esteja no meio político. Poucos escaparam e os que conseguiram não são aqueles que poderiam ocupar as pastas nos ministérios.

Pelo menos uma coisa foi muito boa nessas escolhas: com algumas exceções, foram buscados homens de reconhecida capacidade.

Muitas críticas pela falta de mulheres e negros. Realmente um absurdo, já que não se escolhe competência por cor ou gênero. Isso é puro populismo, é bem a política lulista, é a busca de votos a todo custo.

Não é com esse tipo de escolha que se governa um país, há que governar-se pelo mérito, ou seja, branco ou preto, homem ou mulher, que se coloque o melhor para bem-servir a causa da nação.

Infelizmente, teremos remédios amargos, mas há que recuperar-se a economia para atrair de volta o capital estrangeiro e o interesse do capital interno para novos investimentos.

É momento de recuperação, portanto, só nos resta ajudar para podermos voltar a viver condignamente, dentro da ordem e da decência.

Deixe um comentário

*