‘O menino que lia nuvens’

‘O menino que lia nuvens’

Respeitar vagas destinadas a pessoas com deficiência ainda é um tabu na cidade. Não importa onde eles estejam, na rua, em shoppings ou agências bancárias, os espaços sinalizados continuam sendo ocupados por maus motoristas. E é o que está acontecendo na Rua Antonio de Barros, altura do número 200. Carros e motos (foto) param no local e impedem a utilização por aqueles que conquistaram o direito por lei.
Uma pessoa que necessita de cadeira de rodas para se locomover ou tenha a mobilidade reduzida, por algum tipo de deficiência, não consegue sequer descer do veículo. Muitas vezes, como a vaga está sendo ocupada de maneira irregular, o usuário acaba tendo de pedir ajuda de outros pedestres para sair do carro e se acomodar na cadeira. Quando isso não ocorre, o deficiente por vezes desiste de ir ao estabelecimento de sua preferência.

Deixe um comentário

*