Não é fácil mudar de escola

Sr. redator:
“Existem muitos motivos para mudar seu filho de escola: mudança de endereço ou local de trabalho, falta de adaptação da criança com a metodologia do colégio que frequenta ou simplesmente a constatação de que seu filho não está feliz e motivado nessa instituição. Estes são motivos mais do que suficientes para a troca. No entanto, é preciso ter consciência e responsabilidade durante este processo.

Especialistas na área de educação afirmam que em casos específicos a troca de escola é bastante positiva no que diz respeito ao desempenho escolar. A partir do momento que a família toma essa decisão, é preciso analisar com calma o motivo gerador, tentar um último contato com a escola atual e ponderar. Caso nenhuma destas ações seja satisfatória, chegou a hora de procurar a nova escola.

Há muitas opções de escolas, diferentes metodologias, rotinas, infraestrutura física e de atendimento. Por isso, é importante que a família esteja atenta e acompanhe a vida escolar do seu filho.

Fique atento e observe se a criança demonstra descontentamento excessivo, frustração com baixa autoestima e, em consequência disso, baixo rendimento.

Nesse caso, chegou a hora de mudar sem medo. A mudança não será fácil, mas pode acontecer de forma tranquila se a família e a nova instituição acolher essa criança de forma planejada e assertiva.

A parceira família/escola deverá acontecer desde o primeiro encontro. As duas partes terão que estabelecer combinados para tornar a nova rotina mais satisfatória possível. Na prática, essa mudança deve seguir alguns passos importantes.

  • É preciso estar certo que a escola atual não atende às necessidades pedagógicas e emocionais da criança.
  • Deve-se enfrentar a situação com equilíbrio e confiança e não ter medo da mudança.
  • A nova escola deve ser escolhida com cautela. A mesma também deve estar alinhada com a necessidade da criança.
  • É importante ser criterioso quanto à decisão de qual instituição escolher: para isso deve-se pesquisar, visitar, conhecer a metodologia e a equipe pedagógica que será responsável pelo seu filho.
  • Inclua a criança nessa escolha. Leve-a para conhecer a escola, as pessoas e o novo espaço. É imprescindível envolvê-la de alguma forma nesta escolha, independentemente da idade.
  • Não demonstre insegurança ou medo quanto à decisão da mudança de escola, pois certamente seu filho sentirá o mesmo.
  • Certifique-se que a metodologia da nova escola atenderá as necessidades do seu filho.
  • Alinhe com a nova equipe pedagógica a adaptação do conteúdo que está sendo estudado e as avaliações passadas, garantindo assim a continuidade do ano letivo sem prejuízos para a criança.
  • Acompanhe de perto a primeira semana na nova escola. A criança deve ser acolhida de maneira especial. Dessa forma, a sua adaptação será muito mais tranquila.
  • Mantenha contato com professores e coordenadores para saber como está se dando a adaptação.
  • Diga a seu filho que esteja aberto para formar novas amizades, afinal ele está entrando em um grupo já formado.
  • Não se desespere se seu filho demorar um pouco para fazer amizades. Cada um tem seu tempo.

O importante é perceber que, em alguns casos, passado um semestre, a troca de instituição é a melhor saída para crianças que não se adaptaram à escola. A pergunta é: essa mudança pode melhorar ou atrapalhar a vida escolar do meu filho?

Se a resposta for melhorar, vá em frente. Afinal, o mais importante é a criança. A ela deve ser dada a chance de escrever uma nova história e voltar a sentir prazer pelos estudos.”

Selma Maria Sabino

Deixe um comentário

*