Morador está indignado com alterações na Celso Garcia

Morador está indignado com alterações na Celso Garcia

Sr. redator:

“Sou professor universitário e morador do Tatuapé. Junto com outros moradores, estou acompanhando as mudanças na Avenida Celso Garcia, decorrentes de uma proposição do mandato do vereador Ricardo Teixeira. De fato, a avenida precisa de mudanças estruturais urgentes, dado o seu estado deplorável e de abandono.

No entanto, estamos todos muito preocupados com as mudanças propostas, pois não nos parece que a mão dupla irá resolver os problemas da avenida, que é bastante complexa, com realidades e demandas distintas no Brás, no Belém e no Tatuapé. A diminuição de uma faixa de rolagem, sentido bairro, aumentará sobremaneira o trânsito no período da tarde (período de maior demanda), e apenas uma faixa de rolagem sentido centro não criará uma real alternativa à Radial Leste, ficando saturada em pouco tempo. O maior problema, entretanto, será a proibição das conversões à esquerda no sentido bairro.

Os carros precisarão desviar para as ruas locais e residenciais, estendendo o trânsito para os já saturados bairros. O corredor de ônibus será prejudicado, pois não haverá mais área de ultrapassagem (necessárias, pois os pontos são divididos em três), sendo os motoristas obrigados a trafegar junto às sarjetas absolutamente esburacas (vale lembrar que estamos falando do maior corredor de ônibus do mundo). Em relação à suposta redução de acidentes com pedestres, temo que a proposta não reduzirá esse número, pois as faixas laterais continuarão reservadas aos ônibus induzindo os pedestres a uma falsa percepção do trânsito (as faixas centrais congestionadas e as laterais livres).

Esse é o diagnóstico geral, tanto de minha parte quanto de outros moradores e também especialistas em questões urbanas com os quais venho conversando. Todas essas questões vêm provocando um alvoroço entre moradores, como pode ser verificado nas redes sociais, nas conversas formais e informais. A maior indignação é que tudo isso está sendo feito sem nenhum tipo de melhoria básica, como limpeza, recapeamento, iluminação etc. Apenas pintura em um asfalto indigno dessa nomenclatura. Outros moradores, inclusive jornalistas e engenheiros, já solicitaram o estudo à Secretaria Municipal de Mobilidade e Transportes, sem sucesso.

Gostaríamos de chamar atenção para uma área em específico, o cruzamento da Avenida Salim Maluf com a Celso Garcia (o cruzamento mais sensível e problemático de todo o trajeto da Celso Garcia). Aqui existe uma importante conversão à esquerda, a entrada da Rua Ulisses Cruz, que dá acesso à Marginal Tietê e Via Dutra e que é utilizada por milhares de veículos diariamente.

As novas sinalizações que vêm sendo instaladas e as informações dos agentes da CET no local indicam que essa conversão será extinta e que os veículos, inclusive caminhões e ônibus, necessitarão acessar as ruas locais, deslocando um volume considerável de trânsito para o bairro (além dos carros provenientes da Salim Maluf, que já entram nessas ruas para acessar a Celso Garcia).

Trata-se de uma mudança enorme que trará um impacto absolutamente negativo nessas ruas, numa área já asfixiada por duas grandes avenidas, e nenhum dos moradores foi ouvido nesse processo. Esse volume enorme não será comportado nessas ruas, pois o trânsito já é grande e a tendência, se isso for realmente implantado, é degradar, além da avenida, as ruas adjacentes.

Diante do exposto, seria interessante, antes da implementação dessa nova sinalização, a ampliação do debate com a comunidade e especialistas em questões urbanas para aprimoramento da proposta e, sobretudo, para atrelamento dessa mudança com melhorias básicas – tememos que se assim não for feito, a avenida cairá em mais 50 anos de esquecimento.”

Carlos Eduardo Souza Aguiar

Deixe um comentário

*