Hospital de V. Carrão: obras estão emperradas

Hospital de V. Carrão: obras estão emperradas

A proposta da Prefeitura de transformar o antigo Hospital e Maternidade Vila Carrão em um complexo hospitalar, formado por um Hospital Dia, da Rede Hora Certa, Unidade de Pronto Atendimento (UPA), dentre outros atendimentos em saúde, está emperrado há dois anos. Quando a Prefeitura anunciou as obras, em 2014, após uma campanha encabeçada por moradores da região, com o apoio do vereador Masataka Ota e da deputada federal Keiko Ota, vários homens e máquinas foram mobilizados e a parte interna do prédio começou a ser modificada. Porém, pouco tempo depois, tudo parou e a construção foi esquecida.

PROCESSO SE ARRASTA

Em março de 2015 surgiu uma nova informação de que os trabalhos iriam começar. No entanto, o mês se foi e nada. No mesmo ano, a Secretaria Municipal da Saúde foi procurada pela reportagem e informou que os investimentos para o lugar seriam de aproximadamente R$ 6 milhões. Com o passar do tempo, a área localizada na Avenida Conselheiro Carrão, 2.886, continuou servindo de alvo para vândalos e pichadores. Atualmente o antigo hospital está deteriorado, com a porta de entrada quebrada e com janelas destruídas.

INFRAESTRUTURA

Conforme a secretaria já havia informado, deverão ser construídos na unidade 20 salas para consultórios, espaço para coleta de exames clínicos e instalações para exames de imagem. O equipamento contará com dois centros cirúrgicos e 12 leitos, para permanência de até 12 horas. Serão oferecidas 12 especialidades médicas e odontologia, além de 13 modalidades de exames de diagnóstico.

A intenção da Prefeitura é também de que o prédio abrigue o Centro Especializado de Reabilitação II Carrão e a Unidade de Pronto-Atendimento 24 Horas Carrão. As unidades da Rede Hora Certa oferecem atendimentos médicos de especialidades, procedimentos cirúrgicos de pequeno porte e exames de apoio diagnóstico e diagnóstico por imagem. Havia a previsão de que o atendimento do complexo, quando estivesse pronto, ocorreria de segunda a sábado, das 6 às 22 horas, podendo ser avaliada a necessidade de atendimento aos domingos.

VEREADOR E DEPUTADA

Diante da necessidade da população e do atraso nas obras, esta Gazeta entrou em contato com as assessorias do vereador e da deputada para obter mais informações. Conforme Masataka, após ter convencido o prefeito Fernando Haddad e o então secretário José de Filippi Jr. da importância da obra, ainda restavam desapropriações até a aprovação da proposta. Com a aprovação do prefeito, o parlamentar afirmou ter encaminhado emenda à Câmara que, unida à outra verba destinada por Keiko, somou R$ 3,7 milhões.

BRASÍLIA

Sobre o acompanhamento das obras, Masataka ressaltou que vai ao gabinete do atual secretário, Alexandre Padilha, para cobrar o andamento da construção. No entanto, não informou em qual fase está o plano. O parlamentar também se esquivou da questão ligada ao real emprego dos quase R$ 4 milhões. Quanto às questões relacionadas a prazos e datas de início e fim do projeto, o vereador salientou serem de responsabilidade da Prefeitura. A reportagem encaminhou e-mail para o gabinete da deputada, em Brasília, mas até o fechamento desta edição a mesma não havia se pronunciado a respeito do tema.

SECRETARIA RESPONDE

A Secretaria Municipal da Saúde informou, na última quinta-feira, dia 14, que está revisando a documentação entregue à Caixa Econômica Federal e continua a implantação do Hospital Dia da Rede Hora Certa Carrão. Relatou, ainda, que estão sendo feitos estudos e levantamento planialtimétrico na área do “Quarteirão da Saúde”, assim como o “As built” da antiga clínica que receberá o Hospital Dia. O projeto e as obras estarão prontos neste semestre.

Deixe um comentário

*