Grafite: Copa colorida

Grafite: Copa colorida

A Zona Leste está prestes a bater um novo recorde: o de ter o maior corredor de grafite a céu aberto na América Latina. O painel, que só perde em tamanho para o muro de Berlim, recebeu diversas inscrições para ser colorido através do site Turismo em São Paulo, durante duas semanas até o dia 15 de abril.

O projeto intitulado “4 km” começa na estação de Metrô Patriarca e segue até a estação Corinthians-Itaquera, e é coordenado pela Secretaria Estadual de Turismo e pelo Comitê Paulista da Copa. Participam 70 grafiteiros, que receberam cachê de R$ 6.500 cada, além de sprays, latas de tinta, pincéis, óculos de segurança e luvas de plástico.

No dia em que a reportagem da Gazeta passou pelo muro do Metrô Patriarca, alguns grafites já estavam estampados, mas ao longo do caminho, outros artistas trabalhavam para deixar suas obras prontas.

COPA DO MUNDO
Cada grafiteiro tem 50 metros de parede para pintar, cujo desenho deve ser aprovado por uma comissão de curadoria. Também é preciso se adequar aos temas “torcida brasileira” e “cidade de São Paulo”.

Além disso, os grafiteiros conseguiram um aval da comissão da Prefeitura que regula a publicidade em São Paulo, para que possam exibir no muro a marca de empresas patrocinadoras dos jogos, como por exemplo, a Nike. Porém, a propaganda poderá ser exibida por 30 dias, após esse prazo ela será removida. As outras artes, no entanto, serão mantidas.

GARANTIDOS
Antes mesmo de selecionarem os artistas, quatro nomes já estavam garantidos para expor seus desenhos: a artista plástica Bárbara Goy, os grafiteiros Diego Zéfix e Thiago Falgetano e o designer Danilo Roots. Eles conseguiram o espaço previamente, pois ajudaram no desenvolvimento do projeto.

VALORES
O governo gastará com o projeto R$ 1,3 milhão. Outros 500 mil virão de patrocínio. Com esse projeto pretende-se atrair mais turistas para a Zona Leste.

Deixe um comentário

*