FAVELA DE SAPOPEMBA – Famílias tentam voltar ao local

FAVELA DE SAPOPEMBA – Famílias tentam voltar ao local

Moradores da Favela de Sapopemba, localizada na altura do número 500 da Avenida Tenente Lauro Sodré, ainda contam os prejuízos após o incêndio que destruiu uma parte dos barracos no início do mês. Durante a passagem da reportagem pelo local, algumas pessoas tentavam retirar objetos pessoais do terreno ou alguns utensílios em melhores condições. Outras retornavam para tentar encontrar animais de estimação.

TRAGÉDIA
Depois da tragédia, parte dos moradores começou a juntar algumas placas de madeira e pedaços de telha para tentar reconstruir um abrigo. Criada há cerca de três anos, a comunidade, iniciada com aproximadamente 15 famílias, saiu fora do controle e seguiu crescendo de forma desordenada. Agora, o local estava servindo a mais de 200 famílias que já tinham conseguido regularizar os sistemas de abastecimento de água, luz e esgoto.

RONDAS DA GCM
De acordo com a Prefeitura a área, conhecida como Fazenda da Juta, foi retomada. Sobre o fato dos moradores estarem retornando ao terreno de forma gradual, a assessoria da Subprefeitura Vila Prudente/Sapopemba relatou que está adotando as providências para acionar a Guarda Civil Metropolitana a fim de preservar o local. Para isso, a GCM realiza rondas periódicas na região.

FAMÍLIAS
No que diz respeito ao atendimento às famílias, a Secretaria Municipal de Assistência e Desenvolvimento Social (SMADS) disse ter cadastrado 70 pessoas durante o atendimento às famílias atingidas pelo incêndio. Conforme a secretaria, uma equipe do Centro de Referencia de Assistência Social (Cras) Vila Prudente fez a distribuição de 63 colchões, 63 cobertores, 63 cestas básicas e 63 kits de higiene, além de refeições. Representantes do órgão afirmaram, ainda, terem oferecido encaminhamento aos Centros de Acolhida da SMADS, porém, não houve interessados em utilizar o serviço de abrigo.

HABITAÇÃO
A assessoria da Secretaria Municipal de Habitação afirmou que a pasta trabalha para cumprir o programa de metas que prevê a entrega de 55 mil unidades em toda a cidade até 2016, para combater um déficit habitacional de 230 mil moradias. A pasta revelou que, para essa meta de governo, já existem terrenos e áreas adquiridas para a construção de moradias populares. De janeiro do ano passado até agora, a secretaria conseguiu viabilizar terrenos para construção de mais de 93 mil novas moradias. Desse total: 2,6 mil foram concluídas, 13 mil estão em obras, 58 mil estão contratadas ou prestes a serem iniciadas e 20 mil em fase de aprovação ou elaboração de projeto.

Deixe um comentário

*