ESTACIONAMENTO CERET: Moradores pedem organização

ESTACIONAMENTO CERET: Moradores pedem organização

Frequentadores do Ceret (Centro Esportivo, Recreativo e Educativo do Trabalhador) estão preocupados com a falta de segurança no estacionamento do local e também com o método proposto pela empresa de segurança privada para tentar minorar o problema.

Nos últimos meses, alguns carros foram furtados dentro do espaço enquanto o dono praticava atividades no clube. Além de levarem o veículo, ladrões também tiravam objetos pessoais de dentro dos carros ou as rodas dos mesmos. Durante a ação, os bandidos levantavam o automóvel, colocavam um cavalete sob o assoalho e efetuavam o crime sem serem vistos.

CONGESTIONAMENTO
Diante do problema, funcionários da empresa de segurança contratada pela Prefeitura decidiram anotar, uma a uma, as placas de todos os veículos que entravam no estacionamento. Apesar de aparentemente haver um controle de quem entra ou sai do clube, o número de carros era tão grande que a fila de automóveis começou a gerar congestionamentos nas ruas Emília Marengo e Canuto de Abreu. Com isso, muitos motoristas começaram a buzinar e ofender quem esperava para entrar no Ceret. Moradores de prédios próximos também se irritaram com o barulho, pois as brigas ocorreram por volta das 7 horas.

FURTOS
Para o morador José de Andrade, o sistema ainda é precário, pois um dos veículos que teve as rodas furtadas estava em frente à guarita da segurança do Ceret. Para ele, deve ser investido mais em treinamento ou na quantidade de pessoas trabalhando, visto que o número de visitantes é cada vez maior.

Veículos de usuário teve as duas rodas furtadas no estacionamento

Veículos de usuário teve as duas rodas furtadas no estacionamento

Neste sentido, a verba destinada à vigilância patrimonial e monitoramento eletrônico é até substancial: R$ 3.033.133,20. O valor, que deverá ser investido no clube em 2015, foi divulgado por Miguel del Busso, chefe de gabinete da Secretaria de Esportes, Lazer e Recreação (Seme), aos moradores Vera Mazzoni e Elias Pereira.

PLAYGROUND
Ainda na área de segurança, o Ceret divulgou também que terá de interditar o playground para poder enquadrar o conjunto de brinquedos às normas da ABNT. Caso o diretor do clube queira atender às novas regras e ainda promover outros investimentos, ele terá mais verbas à disposição. Conforme informações de Busso serão R$ 1.240.834,12 para monitoramento aquático; R$ 1.037.428,99 para limpeza; R$ 549.421,44 para manutenção de áreas ajardinadas; e R$ 539.915,60 para manutenção em alambrados, quadras poliesportivas, acesso de estacionamento e espaço para cachorros.

O OUTRO LADO
Para verificar se o Ceret será beneficiado com os valores divulgados pelo chefe de gabinete e se os problemas de segurança poderão ser resolvidos, esta Gazeta entrou em contato com a assessoria da Seme.

Segundo a pasta, ainda não foram definidos os dados finais sobre a parte de verbas. A assessoria ainda iria confirmar valores e detalhar outros pontos. Quanto ao playground de madeira, o mesmo será retirado nos próximos dias e a instalação de novos equipamentos está sendo estudada pela Secretaria.

A assessoria relatou, também, que já solicitou junto à Guarda Civil Metropolitana (GCM) e à Polícia Militar (PM) a colocação de um posto policial no local. No entanto, a Seme está aguardando um posicionamento dos órgãos. Como uma medida provisória, visando à segurança dos frequentadores, a pasta pediu a compreensão de todos e disse que a equipe de segurança do Ceret será rigorosa no registro de entrada de automóveis.

Deixe um comentário

*