É duro ser pobre e preso

É duro ser pobre e preso

No palco, Carlos Nunes interpreta o presidiário Zé Antônio, narrando, com muito humor e pitadas de ironia, como foi parar na prisão após roubar a galinha de estimação da filha de um deputado. Na narrativa, por causa do ocorrido, o deputado entra com um Projeto de Lei em Brasília para transformar a galinha em animal sagrado no Brasil assim como a vaca é na Índia.

O humilde desempregado, que foi criado obedecendo às leis divinas e que aprendeu com a mãe que educação, honestidade e a personalidade vêm do berço, fica sem entender porque um crime tão simples, cometido apenas para livrar a família da fome, o deixou tanto tempo atrás das grades.

Enquanto vive o medo de ter o projeto aprovado, ele divaga, com seu advogado, sobre crimes mais sérios que ficam impunes como a pobreza, as falhas na educação, o descaso com a saúde, o salário dos aposentados, a atuação da polícia e outros temas. Assim é o espetáculo “Comi uma galinha e tô pagando o pato”.

As apresentações ocorrem sexta e sábado, às 21 horas, e domingo, às 19 horas. Ingressos: R$ 40,00 e R$ 20,00. Temporada: até 27 de julho. Local: Teatro Bibi Ferreira – Avenida Brigadeiro Luis Antônio, 931, Bela Vista.

Deixe um comentário

*