E as operações urbanas Mooca e Celso Garcia?

E as operações urbanas Mooca e Celso Garcia?

Com o objetivo de voltar a falar sobre dois projetos importantes para a Zona Leste, a reportagem entrou em contato com a Secretaria Municipal de Desenvolvimento Urbano com o intuito de obter mais informações sobre duas operações urbanas: a Consorciada Mooca-Vila Carioca e a Celso Garcia.

Com relação à primeira operação, além de saber sobre como está o processo para a sua efetivação, visto que o projeto faz parte do programa de metas do governo Fernando Haddad, outros dois questionamentos foram feitos: quando sairá do papel e, com relação ao forte e consolidado comércio industrial na região, que emprega inúmeras pessoas, se o mesmo será prejudicado com a chegada da operação consorciada.

EM ESTUDO
De acordo com a pasta, em dezembro de 2013 o “Estudo de Impacto Ambiental” e o respectivo “Relatório de Impacto Ambiental”, referentes ao “Plano Urbanístico Específico da Operação Urbana Consorciada Mooca-Vila Carioca”, foram encaminhados para análise da Secretaria Municipal do Verde e Meio Ambiente.

“Iniciou-se, assim, a etapa de licenciamento ambiental do projeto, condição esta para o envio do projeto de lei à Câmara. Para uma visão geral  da intervenção, no portal, as pessoas irão encontrar o EIA-Rima  da operação urbana, e os principais pontos desse estudo, conforme apresentações realizadas na  Associação Comercial de São Paulo – Distrital Mooca e nas subprefeituras Ipiranga, Mooca, Sé e Vila Prudente.”

PLANO DIRETOR
No que diz respeito à preservação do distrito industrial, a secretaria explicou que o Plano Diretor Estratégico do Município, recém-aprovado, restringe a implantação de empreendimentos residenciais  na Zona Predominante Industrial (ZPI) e na Zona de Desenvolvimento Econômico (ZDE).

“Essa diretriz será referendada no projeto da Operação Urbana Consorciada Mooca-Vila Carioca nas áreas de uso industrial ativo, a partir do entendimento da importância de preservação do emprego industrial e das áreas produtivas no âmbito do município.”

INÍCIO DO PROJETO
Quanto a prazos, nenhuma resposta foi encaminhada à redação neste sentido. Vale lembrar ainda que a futura Operação Urbana Consorciada Mooca-Vila Carioca foi prevista no Plano Diretor Estratégico de 2002. Os estudos começaram em outubro de 2011 com o objetivo de promover o desenvolvimento do perímetro que abrange os bairros da Mooca, Cambuci, Ipiranga, Vila Zelina, Vila Prudente e Vila Carioca.

No site da Prefeitura consta que, na fase atual, estão acontecendo diálogos com a população para coletar contribuições para o projeto, que visa aproximar o trabalho da moradia, assim como aumentar o número de áreas verdes, promover mais acessos a serviços, cultura, lazer e equipamentos sociais; melhorar a mobilidade urbana e minimizar as inundações na região.

CELSO GARCIA
Com relação à Avenida Celso Garcia, uma das perguntas foi relacionada ao fato do projeto operação urbana não fazer mais parte do programa de metas do governo atual. Recentemente, publicações veicularam que a referida ligação será desapropriada em alguns trechos. Isso para ser alargada e poder receber um corredor de ônibus, ao longo de toda a sua extensão.

“O projeto Arco Leste, dentro do perímetro assinalado no ‘Mapa 02 – A Setores da Macroárea de Estruturação Metropolitana  do PDE’, abrange as áreas lindeiras à Avenida Celso Garcia, desde o Largo da Concórdia, no Brás, e avança na direção Leste, estruturado em torno do eixo das avenidas Governador Carvalho Pinto, São Miguel Paulista e Marechal Tito, até alcançar o limite do município. Trata-se de uma intervenção que, acompanhando o traçado do Corredor Celso Garcia, pretende integrar três sistemas de circulação: o transporte coletivo, os percursos que conectam os pontos de referência de cada bairro às estações do corredor que os integra, e o sistema ambiental, constituído por caminhos verdes e parques lineares compreendidos no perímetro de intervenção.”

DESENVOLVIMENTO
A pasta informou ainda que o projeto está em desenvolvimento na São Paulo Urbanismo e deve identificar quais os instrumentos urbanísticos serão indicados para a condução de projetos na região.

Nenhuma sinalização quanto aos trechos a serem desapropriados foi apresentada pela secretaria, assim como a relação dos imóveis que precisarão ser desocupados e quando a obra começará a sair do papel. Outra dúvida que ficou no ar é se a Operação Urbana Celso Garcia deixou, de fato, de existir.

Deixe um comentário

*