Dengue: Manchester ganha tenda de atendimento

Dengue: Manchester ganha tenda de atendimento

O sétimo balanço divulgado no dia 23 de abril confirma que, até aquela data, a Zona Leste tinha 133 casos na Água Rasa, 219 no Aricanduva, 124 em Artur Alvim, 59 no Belém, 42 no Brás, 231 no Cangaíba, 117 no Carrão, 144 na Cidade Líder, 216 na Cidade Tiradentes, 224 em Ermelino Matarazzo, 113 em Guaianases, 58 no Iguatemi, 110 no Itaim Paulista, 375 em Itaquera, 134 no Jardim Helena, 46 no José Bonifácio, 150 no Lajeado, 173 na Mooca, 149 no Pari, 227 no Parque do Carmo, 274 na Penha, 160 na Ponte Rasa, 117 no São Lucas, 110 em São Mateus, 146 em São Miguel Paulista, 98 no São Rafael, 111 no Sapopemba, 126 no Tatuapé, 125 no Curuçá, 218 na Vila Formosa, 74 na Vila Jacuí, 146 na Vila Matilde e 200 na Vila Prudente. Dos 20.674 casos de toda a cidade, 1.173 foram ignorados.

EMERGÊNCIA
O anuncio foi feito pelo secretário-adjunto de Saúde, Paulo Puccini. No período de 4 de janeiro a 11 de abril, 62.799 casos foram notificados e 20.764 foram confirmados autóctones (contraídos no município) e cinco óbitos confirmados pela doença neste ano.

A Prefeitura destacou que atualmente a cidade possui 16 distritos em emergência: Raposo Tavares, Rio Pequeno, Pirituba, Jaraguá, Perus, Brasilândia, Freguesia do Ó, Cachoeirinha, Limão, Cidade Ademar, Pedreira, Capão Redondo, Jardim Ângela, Pari, Jabaquara e Parque do Carmo.

Para ajudar na fiscalização, 50 soldados do exército foram colocados à disposição para combater os focos de criadouros dos mosquitos transmissores da doença. Eles foram treinados por equipes da Coordenação de Vigilância em Saúde (Covisa) e se somam aos 2.500 agentes de zoonoses que diariamente visitam domicílios e orientam os cidadãos acerca de como evitar a proliferação dos mosquitos. A atuação dos soldados se dará em locais onde há maior resistência da população em receber os agentes da Covisa.

TENDAS
A cidade conta com oito tendas de atendimento nos distritos do Jaraguá, Brasilândia, Freguesia do Ó, Cidade Ademar, M’ Boi Mirim, Lapa, Rio Pequeno e Aricanduva/Carrão. Adotadas com o objetivo de desafogar as unidades de saúde em regiões de maior incidência da doença, mais de sete mil atendimentos foram realizados pelos equipamentos.

Cada uma das instalações possui uma máquina de teste rápido de sangue, que possibilita a contagem de plaquetas para a identificação de eventuais agravamentos e potenciais evoluções para dengue hemorrágica. Os munícipes devem primeiro procurar a unidade de saúde junto às tendas.

Aqueles que, depois de uma triagem inicial, têm suspeita de dengue são encaminhados para as tendas, onde recebem atendimento, orientação e tratamento específicos para a doença.

NO ARICANDUVA
Em contato com a assessoria da Subprefeitura Aricanduva/Formosa/Carrão, a mesma informou que todas as ações relacionadas ao assunto é de responsabilidade da Secretaria Municipal de Saúde.

“Nós damos apoio sempre que solicitado pelo órgão responsável, como nas ações anti-dengue, que realizamos em parceria com a Suvis Aricanduva/Mooca, em novembro e fevereiro último. Também atendendo as solicitações de Suvis, complementamos os roteiros das operações Cata-Bagulho para as áreas com maior incidência de casos da doença, bem como procuramos atender de imediato os pedidos que chegam do órgão via ofícios para fiscalização de obras e terrenos particulares abandonados.”

secretario-adjunto de Saude, Paulo Puccini - Fernando Pereira

Quanto à tenda localizada na região, ela fica no estacionamento da UBS Vila Manchester (ao lado do Clube Manchester) e atende apenas os pacientes já diagnosticados com Dengue. “Pacientes com suspeitas da doença devem procurar primeiro o atendimento nos AMAs ou prontos-socorros e/ou hospitais. O atendimento é de segunda à sexta, das 8 às 17 horas.”

COMO PREVENIR
Pratos de vasos de plantas devem ser preenchidos com areia. Tampinhas, latinhas e embalagens plásticas devem ser jogadas no lixo e as recicláveis guardadas fora da chuva.

Latas, baldes, potes e outros frascos devem ser guardados com a boca para baixo.  Caixas d’água devem ser mantidas fechadas com tampas íntegras sem rachaduras ou cobertas com tela tipo mosquiteiro. Piscinas devem ser tratadas com cloro ou cobertas.

Pneus devem ser furados ou guardados em locais cobertos. Lonas, aquários, bacias e brinquedos devem ficar longe da chuva. Entulho ou sobra de obras devem ser cobertos, destinados aos Ecopontos.

Cuidados especiais para as plantas que acumulam água, como bromélias e espadas de São Jorge: coloque água só na terra.

Deixe um comentário

*