Críticas ao Centro Paula Souza

Sr. redator:
“Há algum tempo esta Gazeta publicou uma matéria a respeito de alunos da Etec Martin Luther King sobre a conquista da medalha de ouro na Olimpíada Internacional Matemática Sem Fronteiras. Com o prêmio, sete alunos e um professor da escola se credenciaram a participar de outra competição, na Índia, conhecida como Quanta, que avalia conhecimentos e habilidades nas áreas de lógica, matemática, ciência e eletrônica.

Após descobrir que o Centro Paula Souza (CPS) não poderia nos apoiar financeiramente para participar do evento, elaboramos uma carta para a instituição com o seguinte conteúdo: ‘prezado CPS, não seria um orgulho se os representantes da única escola pública da capital participassem da nova competição? Sim! Porém, os alunos não têm como pagar as passagens, o serviço que é oferecido no local e o passaporte.

Tendo isso em mente, a diretora da escola, algum tempo depois de receber o convite e notificar os alunos (isso por volta do início de agosto de 2015), entrou em contato com o Centro para saber a posição sobre esse assunto, se ajudariam ou não.

Nesse meio tempo, a organizadora do Quanta, a Rede POC, pediu que a escola confirmasse a presença dos alunos até o dia 28 de agosto. Contudo, sabe quando o CPS mandou a resposta? Poucos dias antes da data. E qual foi o retorno? Não, não temos como ajudar, estamos cortando gastos.
O Centro Paula Souza nem pensou em entrar em contato com a Secretaria de Desenvolvimento Econômico, Ciência, Tecnologia e Inovação do Estado, o governo estadual ou federal para obter apoio.”

Lemuel Henner e Verçosa Santos

Centro Paula Souza responde:

Sr. redator:
“A assessoria de imprensa do Centro Paula Souza informa que a instituição parabenizou todos os estudantes de 15 Escolas Técnicas Estaduais (Etecs) premiados com 24 medalhas na edição 2015 da Olimpíada Matemática Sem Fronteiras. Todos estão qualificados e foram convidados a participar de uma etapa internacional na Índia, em delegações de até sete estudantes mais um professor, pela qual teriam de arcar com todas as despesas, que incluem taxa de participação no valor de R$ 2 mil por pessoa, passagem aérea (R$ 4 mil), passaporte e visto. Como instituição pública com orçamento sujeito à aprovação, porém, o Centro Paula Souza não dispõe de recursos específicos para financiar esse tipo de participação, que em geral corre por conta dos envolvidos.

Sempre que possível, o Centro Paula Souza apoia a participação em eventos nacionais e internacionais. Além desses estudantes, muitos alunos e professores das 218 Etecs e 65 Faculdades de Tecnologia (Fatecs) são convidados a participar, competir e mesmo apresentar trabalhos em seminários, congressos e competições dentro e fora do País.

Por entender que esse tipo de intercâmbio é muito produtivo para o crescimento pessoal e acadêmico de seus estudantes, a instituição promove um programa anual de aprendizado de um segundo idioma em outro país, com todas as despesas pagas, durante um mês. A oportunidade é aberta a todos os estudantes da rede, com critérios claros e por meio de empresa licitada. Mais de 2 mil alunos já foram beneficiados”.

Assessoria de imprensa

Deixe um comentário

*