Crítica ao Prevent Senior

Sr. redator:
“Eu e meu irmão, Francisco, iniciamos tratamento dentário particular com a cirurgiã dentista Eliza Missao Kiyota. Como profissional conceituada na área de odontologia e implantodontia, pediu que realizássemos alguns exames de sangue. A dentista então prescreveu os pedidos de exames em receituário dela, solicitando 12 horas de jejum.

Passei um e-mail para a central de atendimento ao cliente do meu convênio: Prevent Senior, para que obtivéssemos a autorização dos exames requisitados. Em dois ou três dias, obtivemos a autorização. Nos dirigimos ao laboratório, situado à Avenida Paes de Barros, para a realização dos exames, às 6h10, em jejum de 12 horas.

Quando fomos abrir a ficha, a atendente ou recepcionista que nos recebeu perguntou se estávamos em jejum. Respondi que sim, de 12 horas.

Obtive como resposta de que 8 e 12 horas ‘é igual’, ou seja, tanto faz.

Não é, pois a dentista pediu 12 horas de jejum. Que despreparo desta atendente! E, para completar, fomos buscar os exames no dia 19 de janeiro e tivemos a seguinte surpresa: os mesmos não vinham em nome da doutora Elisa. Eram endereçados à ‘plantonista odontologia’.

No dia 28 de janeiro, levamos os exames para a dentista. Ficamos quietos até que ela verificasse se estávamos bem ou não para os procedimentos que vamos realizar, já que vou fazer implante. Qual foi a nossa surpresa quando a mesma nos perguntou: ‘houve alguma intercorrência com vocês?’; respondi: ‘não’.

Então ela disse: ‘a dra. que prescreveu os exames agora chama-se plantonista odontologia’. E completou: ‘vocês têm o número da central de atendimento ao cliente?’. Eu disse que sim e passei os números. E a resposta foi: ‘assegurada, relate os fatos por e-mail’.

Não vou mais falar com laranjas comandados por pseudo-diretores, já que não se consegue chegar à alta cúpula, ou ao mais alto escalão, pois escondem-se com laranjas que nunca resolvem nada. Quando reclamei, falei com Diego, e a dra. Elisa, com Andreia. O Diego disse-me, em duas ou três ligações, que daria o caso por encerrado, já que a conduta do referido convênio é esta. Já Andreia, deu outro argumento para o caso.

É um descaso, falta de ética profissional, falta de respeito para com a dentista e para conosco. As pessoas da terceira idade são destratadas, menosprezadas, marcadas, assim como eu, por este convênio. Tem milhares de idosos, mas tanto faz como tanto fez.”

Isabel Capel Lopes

Deixe um comentário

*