Correios entregam panfletos de Dilma

Imaginem a que ponto chegamos. Sem dúvida, atingimos o “fundo do poço”, ou o fundo do lamaçal. Esse é o governo do  PT. Mais do que nunca, “os meios justificam os fins”, ou seja, pouco importa a lei, a moral os bons costumes, “vale tudo”, tudo pela vitória, nem que para isso tenhamos de pecar, matar, extorquir, mentir, o importante é a vitória, doa a quem doer.

Os Correios abriram exceção para o PT, com propaganda eleitoral sem marca da empresa que comprova pagamento do serviço.

Os Correios distribuíram panfletos da candidata Dilma Roussef sem chancela ou comprovante de que houve postagem oficial. 

É norma dos Correios a estampa que serve para mostrar que houve pagamento para envio, de forma regular, da propaganda eleitoral.

O número declarado de panfletos distribuídos dessa forma foi de 4,8 milhões. O órgão é chefiado por Wilson Abadio de Oliveira, afilhado político do vice-presidente da República, Michel Temer.

Portanto, a estatal, que é comandada por petistas, abre uma “exceção” para a campanha eleitoral da não menos petista Dilma e deixa de exigir a chancela que serve para auditar a quantidade de material distribuído, sendo que esse papel destaca as realizações do governo em programas sociais.

Mais uma vergonha, mais uma “safadeza”. Se abre-se exceção para a petista, por que não para os outros candidatos? “Para os amigos tudo, para os inimigos a lei”, essa é a lei do PT. Um partido que há 12 anos faz e desfaz e quer continuar a fazer do jeito e do modo que todos já sabem.

O medo de perder está enlouquecendo a gente do PT ao sentir que o fim está próximo. O desespero chega às raias do absurdo e vale tudo. É passar com um trator sobre tudo e sobre todos, é mentir o tempo todo, destruir, e enaltecer o que nunca fez, ou se fez, fez mal feito. Dizem que “o maior cego é o que não quer ver”. E o povo não quer ver. Com o medo de perder as benesses do governo, joga tudo debaixo do tapete e tudo continuará como antes.

O discurso que vem sendo plantado pela Dilma, além dos xingamentos, agressões e impropérios dirigidos à Marina, são verdadeiros absurdos, como se ela nunca tivesse feito parte deste mesmo governo.

Dentro do “vale tudo”, agora ela pede aos ministros que preparem “vacinas” contra a crise da Petrobrás e devem preparar um capítulo sobre gestão e corrupção para ser incluído em plano de governo, ainda sem data para ser lançado.

A presidente está envolvida de corpo e alma no caso da Petrobrás, mas tenta, de toda forma, esquivar-se. Agora, quer que se divulgue um plano onde o tema básico seja combate à corrupção, melhora no atendimento ao cidadão, modernização da máquina e das políticas transversais, como se tudo isso já não devesse estar em prática dentro não só do seu governo como o do “chefão” dos oito anos anteriores.

E, ao que tudo indica, Dilma não cai. Já caiu e já se levantou, e talvez iremos amargar mais quatro anos. Ninguém tem a noção clara do que está acontecendo e do que há por vir.

Quando ela cai nas pesquisas a bolsa entra em alta, e quando ela cresce, a bolsa entra em baixa. Esse é o termômetro mais correto das consequências das desvairadas palavras da petista.

Como o empresário é um criminoso e o lucro é crime para os petistas, cada vez mais a nossa indústria estará produzindo na China e vendendo no Brasil. E eles acham isso tudo normal.

Deixe um comentário

*