Ciclofaixa na Avenida Abel Ferreira

Ciclofaixa na Avenida Abel Ferreira

Na terça-feira, dia 4, o prefeito Fernando Haddad esteve na região acompanhado do secretário municipal dos Transportes, Jilmar Tatto, e do subprefeito da Mooca, Evando Reis, para entregar o trecho de 1,1 km de extensão da ciclofaixa localizada na Avenida Vereador Abel Ferreira.

De acordo com a Prefeitura, o objetivo é de alcançar, até 2015, a marca de 400 km de novas ciclovias na cidade. Mas a medida, assim como a dos corredores de ônibus, vem causando polêmica em alguns bairros. Isso porque a faixa exclusiva, em alguns casos, passa em frente a guias rebaixadas e comerciais.

Uma das principais reclamações é com relação à falta de aviso para a sua instalação e a diminuição do número de vagas de estacionamento, que já é deficiente na cidade, além de prejudicar a entrada/saída de veículos nas garagens.

Haddad e Tatto, seguidos por uma legião, seguiram com suas bikes pela ciclofaixa

Haddad e Tatto, seguidos por uma legião, seguiram com suas bikes pela ciclofaixa

Faixa exclusiva segue no canteiro central da avenida por 1 quilômetro

Faixa exclusiva segue no canteiro central da avenida por 1 quilômetro

No caso do Anália Franco, o trajeto é monodirecional e segue ao lado do canteiro central, em ambos os sentidos da avenida – conectada à Avenida Salim Farah Maluf e à Avenida Regente Feijó. A ideia é atender estudantes e trabalhadores da região.

INTERLIGAÇÕES
Segundo as informações passadas pela assessoria da Subprefeitura Mooca, a obra conta com aproximadamente 3.500 metros de sinalização horizontal, 15 placas de trânsito indicando “Circulação Exclusiva de Bicicletas”, 45 placas de regulamentação e advertência, além de outros materiais.

Ainda de acordo com a administração regional, o novo percurso faz parte de um extenso projeto que pretende ampliar a malha cicloviária na região, ligando universidades e áreas de lazer como os Clubes Escolas Mooca e Tatuapé, além do Parque Esportivo dos Trabalhadores (PET) Anália Franco, antigo Ceret.

SECRETARIA
Diante da divulgação, a reportagem desta Gazeta entrou em contato com a Secretaria Municipal de Esportes, Lazer e Recreação (Seme), responsável pelos espaços citados, para saber se está em estudo ou se há algum projeto pré-definido para liberar a entrada de bicicletas no PET, pois só as crianças com idade até dez anos podem entrar de bike. Nos demais espaços, a prática do esporte é liberada.  Entretanto, até o fechamento desta edição nenhuma resposta foi encaminhada à redação.

Deixe um comentário

*