CALDAS NOVAS – Privé: uma combinação de tradição e modernidade

CALDAS NOVAS – Privé: uma combinação de tradição e modernidade

A Rede de Hotéis Privé decidiu, no final dos anos 70, abrir seu primeiro hotel em Caldas Novas, na região Centro-Oeste. O desafio era criar uma perfeita combinação entre tradição e modernidade.

O resultado foi a inauguração, em 1979, do Hotel Privé, um espaço único e natural, planejado sob medida para quem busca comodidade, conforto e descanso. Um lugar para relaxar e esquecer a correria do dia a dia, escutando o barulho da água a menos de 800 metros do centro da cidade.

CONFORTO
São 168 apartamentos, sendo dois na categoria Super Luxo; 80 na Luxo e 86 na Standard, marcados pelo conforto e instalados próximos às piscinas em meio a muito verde. As acomodações contam com TV a cabo, ponto de acesso à Internet e serviços de room service 24 horas. Para o lazer, nada menos do que seis piscinas de águas quentes, cascatas, bar molhado, além de um parque aquático infantil. As crianças dispõem, ainda, de um espaço só delas, com direito a balanço, escorregador e área para brincadeiras em grupo.

LAZER
À noite, a diversão para todas as idades fica por conta dos shows de humor e do arrasta-pé na seresta, comandados pela equipe de lazer. O hotel oferece, também, serviços terceirizados de massagem e salão de beleza. Para completar, um restaurante, com capacidade para 400 lugares, disponibiliza aos hóspedes pratos da culinária regional e internacional tanto no café da manhã, como no almoço e no jantar.

DESTINO
Um paraíso ecológico incrustrado dentro do maior complexo hidrotermal do mundo. Assim pode ser definida Caldas Novas, em Goiás, cidade com mais de 77 mil habitantes, distante apenas 160 km de Goiânia, 270 km de Brasília e a uma hora de voo de São Paulo. Anualmente, cerca de 4 milhões de turistas nacionais e internacionais chegam à cidade em busca das águas quentes termais que brotam a uma temperatura de 58ºC.

Um lugar para relaxar e esquecer a correria do dia a dia

Um lugar para relaxar e esquecer a correria do dia a dia

O toboágua está adaptado às águas termais

O toboágua está adaptado às águas termais

Com uma farta rede de hotéis e pousadas, Caldas Novas apresenta opções de lazer para todas as idades e uma série de atrações além das piscinas de águas quentes, configurando-se como um dos mais completos centros de lazer e turismo da região Centro-Oeste, além de um dos sete destinos mais visitados do Brasil. Sem contar a gastronomia, que combina peixes e aves com frutos do Cerrado, entre os quais o pequi, usado em pratos típicos como o arroz com pequi e a tradicional galinhada, além do empadão goiano.

NÃO DEIXE DE CONHECER
Parque Estadual da Serra de Caldas Novas (Pescan) – Localizado entre os municípios de Caldas Novas e Rio Quente, o parque, além de preservar a área de captação dos mananciais de águas quentes, constitui uma grande reserva de proteção da biodiversidade do Cerrado da Serra de Caldas, que soma uma área de cerca de 130 km², além de abrigar uma estação de estudos do bioma do Cerrado. Adeptos do turismo ecológico podem desfrutar de três trilhas: Cascatinha, de apenas 1 km e destinada a passeios mais leves; Paredão, um pouco mais difícil e ideal para quem tem bom preparo físico; e Asa Delta, única percorrida de carro, com vegetação fechada.

Lago Corumbá – Formado pelo represamento das águas do Rio Corumbá para alimentar a usina hidrelétrica do mesmo nome, o lago soma uma área de 65 km² perfeita para a prática de esportes náuticos, passeios de barco, pesca esportiva e exploração de cachoeiras da região.

Jardim Japonês – Próximo ao centro de Caldas Novas, o Jardim Japonês resgata o ambiente de meditação dos monges budistas que, desde o século 17, utilizam jardins como esse.

Cachaçaria Vale das Águas Quentes – Um lugar para apreciar a saborosa cachaça de alambique, em versões artesanais valorizadas não só no Brasil como também na Europa, entre elas a cachaça premiada na Itália, que homenageia o centenário do 14 Bis de Santos Dumont.

História e fé – Caldas Novas preserva edifícios que retratam passagens de muita história e fé, como a Igreja Matriz de Nossa Senhora das Dores, construída em 1850 por índios e escravos com matéria-prima da região; o Casarão, erguido em 1907 como sede da fazenda do primeiro prefeito da cidade e que hoje abriga o centro de apoio ao artesão, e o Santuário de Nossa Senhora da Salete, totalmente aberto, de onde se tem uma das melhores vistas da cidade.

Deixe um comentário

*