A vingança de ‘Renan’

Efetivamente, estamos vivendo momentos de uma decadência moral sem limites.

Ninguém mais tem vergonha na cara, ninguém respeita as calças que veste, todos tentam se safar, se salvar e salve-se quem puder nesse “balaio de gato” que está a Câmara, o Senado e os governos estaduais e municipais.

É preciso ter muito estômago e tomar muitos antiácidos para poder ler os jornais e ver os noticiários diários de rádio e televisão.

A operação “Lava Jato” está incomodando demais a todos os políticos. Quase todos estão envolvidos e imaginavam que nunca seriam descobertos, que qualquer doleiro encobriria tudo, que ter empresas no exterior – as famosas “offshore” – encobriria tudo, e que ficariam acobertados por consultorias com advogados e contadores pagos a peso de ouro, fora do País. Imaginavam que passariam incólumes a qualquer tipo de punição.

A coisa mudou, virou, avançou e hoje tornou-se o terror da politicalha toda. Com certeza as farmácias de Brasília já não vencem vender remédios para dormir e calmantes.

Vejam o caso de Renan Calheiros, nove processos nas costas com a ameaça, todos os dias, de não saber se vai dormir em casa.

Para se proteger e para se vingar da “Lava Jato”, o “grande” Renan acaba de retirar da gaveta um projeto que pode colocar um basta em tudo, ou dificultar as investigações.

Tramita agora, com urgência, um projeto que é de 2009 e que prevê punições a abuso de autoridade de agentes da administração pública e membros do Judiciário, Ministério Público e Legislativo.

Na verdade, tudo se aplica ao que está acontecendo e a busca é inibir as autoridades policiais e judiciárias.

O projeto prevê punições para o cumprimento de mandados de busca e apreensão de forma vexatória. Ainda prevê prisão de um a quatro anos para diligências policiais em desacordo legal. A tentativa é fazer com que toda e qualquer prisão seja considerada ilegal, com o objetivo de intimidar, por exemplo, o “Japonês da Federal”, o juiz Sergio Moro, e toda a polícia.

Outro alvo é a “Delação Premiada”, caracterizada como prender para delatar, sendo encarada como uma violência exigir depoimentos sob a ameaça da prisão.

Tudo desse medonho, nojento, inconcebível projeto é abominável, feito para limitar e tolher os braços da polícia e da Justiça deste País.

Realmente está difícil para que este País tenha condições de se recuperar tão cedo. O Cunha, presidente da Câmara, está com mais denúncias no STF e pronto para ir para a cadeia; o Renan, já está praticamente vestindo o pijama listrado; a presidente afastada ameaça voltar e ainda diz que o Lula se candidata em 2018. É um País em frangalhos, esfacelado e destruído.

O presidente em exercício, Temer, tem feito o possível, mas de repente escorrega, chegando ao absurdo de conceder 12,5% de aumento no Bolsa Família. Enquanto isso, os aposentados que trabalharam a vida inteira estão aí esperando as migalhas que lhes serão destinadas.

Com essa corja não vamos a lugar algum e nem mesmo a fé vai nos salvar. Pouco podemos fazer e só nos resta Deus, e isso se ele estiver disposto a nos ajudar, depois de tanta besteira.

Deixe um comentário

*